Espaço público e privado: onde estamos?

O Espaço Público se desenvolve separadamente do Estado com o início do capitalismo, tornando-se instância social. Governo e Igreja pe...


O Espaço Público se desenvolve separadamente do Estado com o início do capitalismo, tornando-se instância social. Governo e Igreja perderam o amplo domínio, possibilitando o crescimento Privado (particular de propriedade ou posse exclusiva). Público se refere ao universal, de todos. Em linhas gerais, a propriedade (essencial ao capitalismo) tem proprietários usando exclusivamente suas posses, mas circulam num espaço comum (público), organizado e controlado pelo Estado. Uma casa é de uso privado, enquanto as ruas da cidade são públicas. Entretanto, vivemos um problema: a confusão da esfera pública com a privada.

O neoliberalismo (liberdade de mercado) desde os anos Reagan/Thatcher fez políticas públicas se tornarem privadas: o Estado se distanciou da administração de bens públicos, entregando-os para empresas privadas sob regime contratual de parceria ou concessão. Assim, o capitalismo privativo regula não só a esfera privada, mas também a pública, diluindo fronteiras e controlando espaços como um todo.

No fim da década de 1970, impostos, tributos excessivos e a regulamentação de atividades econômicas foram responsabilizados pela queda produtiva e aumento inflacionário. A solução proposta foi: redução gradativa do poder do Estado, diminuição de tributos e privatização de estatais. “Podemos pensar que o processo de privatização dos bens públicos, que na verdade é a dilapidação do patrimônio nacional, ocorre como a própria dissolução e total redução da esfera pública aos interesses privados” – segundo Francisco Oliveira, em Formação do Neoliberalismo no Brasil, 1997.

A ditadura militar brasileira pode ser entendida como preparo norte-americano ao neoliberalismo, consolidado efetivamente na década de 1990. De 1964 até 1985, nossa dívida externa foi de US$ 4 bi para US$ 100 bilhões (milagre econômico), gerando dependência financeira e política, iniciada com Juscelino e seus “cinqüenta anos em cinco”.

Desde Collor/Itamar Franco, a grande mídia divulga o neoliberalismo como solução de problemas. A abertura ao capital internacional, paridade cambial, entre outros fatores, redefiniu o caráter do Estado. A globalização, enquanto modelo importado dos desenvolvidos, se materializou nos países menos desenvolvidos como abdicação do “social” em nome da estabilidade econômica. Deste modo, o Estado passa a ter a racionalidade de empresas privadas, usando recursos públicos para auxiliar instituições privadas em complicação financeira, sempre que “necessário”, com argumento de manter a estabilidade econômica. O interesse econômico em detrimento da esfera pública fere a sociedade, deixando projetos sociais em segundo plano ou com corporações internacionais. Boa parte das rodovias, ferrovias, hidrovias, entre outros, se encontram em regime de parceria entre o capital público e privado. As delimitações se confundem ainda mais.

Um estudo (entrevistas) de tráfego realizado pela socióloga Alessandra Olivato revelou: ações baseadas em noções privadas no espaço público é o maior contribuinte do caos urbano. “Depois de transcritas e analisadas, as entrevistas levaram a três conclusões principais: não existe uma noção clara de espaço público no trânsito, com as pessoas tratando a coisa pública como privada; expressa-se um individualismo provavelmente derivado de que a luta individual pela sobrevivência, no mundo atual, contribui para dificultar a compreensão do que é do outro; e, justificando a ausência de um sentimento de responsabilidade pelo coletivo, não há uma idéia generalizada da direção defensiva cuja premissa é prever o que acontecerá no trânsito", diz Alessandra. Este estudo mostra que o indivíduo, ao transitar pelo espaço público, confunde-o com privado. Confronto e competição deveriam estar ausentes do espaço público, e isto não é restrito ao trânsito. Bares e restaurantes, por exemplo, utilizam a calçada como extensão de suas propriedades, espalhando mesas, cadeiras e dificultando a livre circulação.

A confusão ainda vai além. Políticos e celebridades, enquanto indivíduos realizadores de atividades referentes a muitas pessoas ou interessados, possuem algo conhecido como vida pública. O político toma decisões ao representar o Estado, e estas decisões (interesse público), não devem ser secretas. No mais, suas vidas pessoais, dentro de suas casas ou em momentos de lazer, não nos interessam em nada.

O mesmo pensamento se aplica aos célebres artistas, realizadores da cultura, sem que isto lhes faça perder sua privacidade. Não é incomum apresentadores dizerem que uma celebridade tem de se acostumar aos efeitos colaterais da fama, “pois queremos saber o que fazem em suas vidas privadas”. Oferecem esta ideia superficial e mentirosa como argumento, como quem diz você tem de aceitar as coisas como queremos. Falam na 1ª pessoa do plural: “nós queremos, nós precisamos”, como se fosse fato geral e inconteste. Julgam normal bisbilhotar vidas como “assunto de interesse público”, apenas para satisfazer frívolas curiosidades. Os paparazzi (indiscretos fotógrafos) gozam do direito pressuposto de invadir a vida privada. Parte do público toma para si o direito de espionar a vida alheia, mas nem sempre aceita a exibição de sua imagem em situações constrangedoras, recorrendo ao direito a privacidade legalmente prevista.

Repensemos as Esferas Pública e Privada em sentido amplo: político, econômico, geográfico, midiático, questionando nossas posições diante deste cenário confuso, usando o dito popular: não faça aos outros o que não quer para si (parece simples e imbecil, mas funciona bem em sociedade que atravessa a imbecilidade com tamanha simplicidade).

(Via Marcelo D'Amico)

VOCÊ é muito importante para nós. Queremos ouvir SUA VOZ. Deixe seu comentário abaixo, após 'Related Posts'. Apoie este projeto: clique nas publicidades ou contribua.

COMMENTS

BLOGGER
Nome

Anna Poulain,5,Apoemático,19,APPs,15,Arte,5,Arte Digital,17,Artigos próprios,105,Artigos reproduzidos,286,Biografias,1,Cinema,8,Citações,20,coluna S I T T A,5,Consumidor,24,Contos,14,Crônicas,7,Cultura,14,Dados estatísticos,17,Depressão Comunica,7,Diálogos,1,Diego Pignones,42,Digital,1,Documentários,120,Educar,23,Ensaios,14,Entrevistas,40,featured,4,Fotografia,42,Games,3,HQ,16,In Memoriam,2,Informe,1,Jornais,25,Jornalismo Literário,7,Língua Inglesa,1,Língua Portuguesa,25,Literatura,31,Machismo,17,Memórias de minha janela,10,Mídia,1299,Música,81,nota,9,Nota.,223,Notificando,3,Outros Blogs,2,Pablo Pascual García,1,Pensamento e Comunicação,57,Pensamentos tupiniquins,196,Pintura,16,Poesia,39,Política Carioca,135,Política Internacional,335,Política Nacional,1003,Q tem pra V,45,Rádio/TV,27,Rapidinhas do Sr Comunica,29,Saúde,18,Teatro,20,Tetraplégicos Unidos,10,Tirinhas,4,Tupi Guarani Nheengatu,8,Viagem,10,Vídeos,39,Web,45,
ltr
item
COMUNICA TUDO: Espaço público e privado: onde estamos?
Espaço público e privado: onde estamos?
https://1.bp.blogspot.com/-WsdXQGt5DgI/WTbOKgh-UdI/AAAAAAAAONA/EtUbC3acokwIgrwxvlckcuxC7PpSoEbTQCK4B/s640/comunica.jpeg
https://1.bp.blogspot.com/-WsdXQGt5DgI/WTbOKgh-UdI/AAAAAAAAONA/EtUbC3acokwIgrwxvlckcuxC7PpSoEbTQCK4B/s72-c/comunica.jpeg
COMUNICA TUDO
http://www.marcelodamico.com/2008/12/pblico-e-privado-onde-estamos.html
http://www.marcelodamico.com/
http://www.marcelodamico.com/
http://www.marcelodamico.com/2008/12/pblico-e-privado-onde-estamos.html
true
4187826622770269860
UTF-8
Loaded All Posts Not found any posts VIEW ALL Readmore Reply Cancel reply Delete By Home PAGES POSTS View All RECOMMENDED FOR YOU LABEL ARCHIVE SEARCH ALL POSTS Not found any post match with your request Back Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Follow THIS CONTENT IS PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy