05/03/2009

O manco cansaço, cangaço em mim


Cansaço incolor nos membros
Feito inchaço de epiderme, denso.
Cangaço tragimorto em mim:
Fulgura vida, corpo e fim.
Enevoado, cansado e
Pomposo e inflado e
Quem se valeria da vida
Para descansar a mim?

Cansaço de elegia
Meu cansaço elegeria
Minha vida como tema.

Em poema seria assim:
Ofegantemente reina,
Pulmão de aço queima
O ar que me respira,
A dor que não inspira...

O que o manco quer de mim?
Minha alegria, muda sinfonia,
Riscada no asfalto long play.
Queimei a nota que não partia,
Jazi na flor de alegoria:
Meu carnaval em cinzas,
Piano sem marfim,
Vida sempre em clima
De esgotar-me até o fim.

(Escrito por Marcelo A. D'Amico)

VOCÊ é muito importante para nós. Queremos ouvir SUA VOZ. Deixe seu comentário abaixo, após 'Related Posts'. Apoie este projeto: clique nas publicidades ou contribua.


Um comentário:

  1. que boniiito! Gostei muito! Parece poesia de cangaço! Um beijo, meu amor lindo!

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.