13/04/2009

A capital mundial do carnaval

O Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, simpático e estiloso, "mais parece um ator de novela global que propriamente um político", dizem alguns cidadãos cariocas, porém, o engano corre solto. Eduardo Paes é ótimo político, inteligente e esperto. Leia um trecho retirado do blog de Gabriel Melgaço:
"Como é de se esperar, Eduardo Paes age pelas sombras, na surdina. [...] Encaminhou projeto de lei - PL 02/2009, [...] que visa a privatização da Saúde e da Educação no Rio de Janeiro." O projeto prevê a administração pública através da criação de O.S. (organizações sociais).
No dia 06/04/2009, nosso querido prefeito cedeu entrevista ao RJTV, com intuito de falar sobre os cem dias de governo. A entrevista (apenas parte inicial), pode ser conferida clicando aqui. Interessante que os jornalistas globais nada perguntaram sobre a "privatização" da educação e saúde municipal. Esquecimento ou falta de informação dos profissionais de jornalismo?
Outro capítulo interessante do presente (tempo) carioca é a Cidade da Música, que já ensina teorias musicais: tempo de gastar mais de quinhentos milhões para um projeto inicial de oitenta milhões, e a justificativa? São os contratempos. Para terminar a ópera carioca na Barra da Tijuca ainda estima-se mais cento e vinte milhões, ou mais, pois qualquer obra é cheia de improvisos (musicais), e a Cidade da Música, atualmente, é apenas uma ópera inacabada.
Apenas para relembrar, um levantamento da Transparência Brasil: apenas "93% da atividade legislativa dos vereadores do Rio de Janeiro é irrelevante para a cidade." E mais: "a Câmara Municipal do Rio de Janeiro tem um orçamento para 2008 de pouco mais de R$ 298 milhões, tornando-a uma das Casas legislativas mais caras do mundo para o bolso do cidadão."
Mas existem coisas realmente boas em nosso Prefeito. Basta ver a capacidade que tem de dialogar com todos os partidos políticos:
"Eduardo Paes em 1993 era filiado ao Partido Verde, mas se elege em 1996 pelo PFL quando foi o vereador mais votado do Rio de Janeiro. Em 1998 se candidatou a deputado federal, e ganhou, repetindo a vitória em 2002. Em 1999 se filia ao PTB, volta ao PFL em 2001, em 2003 troca novamente de partido, passando para o PSDB, em 2007 volta a trocar de partido e vai para o PMDB." Agora, vai dizer que o Rio de Janeiro não é a capital mundial do carnaval?

Um comentário:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.