22/05/2009

Sarney e o sexo

Foi publicado hoje no "Diário da Manhã" e na "Folha de São Paulo" o artigo ímpar de José Sarney intitulado: "A crise e a testosterona". Poucas vezes na vida me diverti tanto com um imortal da Academia de Letras redigindo algo. Primeiro, é importante ressaltar o princípio jornalístico da citação de fontes, ainda que num texto informal, as fontes auxiliam a verificação daquilo que escrevemos:
"Leio num jornal europeu que a crise econômica [...]" - qual jornal?
"O jornal publica uma especulação acadêmica que examina o tema ‘Sexo em Tempos de Crise’." - qual universidade ou acadêmicos?
"Mas outros vão menos para motivos psicológicos e metem a obesidade entre os vilões [...]" - que outros? Acadêmicos também?
Caso o artigo do tetrapresidente Sarney tivesse apenas estas "informações", eu nem estaria escrevendo. Mas outros trechos chamam a atenção:
"Na China, a coisa é mais preta: só se pode casar depois dos 27 anos [...]" - caro Sarney, eu diria que "a coisa é mais preta" no Congresso Nacional, não no tema referido (sexo), mas em outras sacanagens com o dinheiro público.
Já no parágrafo final, José Sarney sentencia:
"Aqui, no Brasil, não vejo como um estudo desses seja sério. Afinal, os brasileiros resistem pelo sangue tropical a estes efeitos, e não nos atemorizam crises, tudo marolinha [...]" - ou seja, a resistência pelo sangue tropical, o sangue quente dos trópicos, faz com que as crises não afetem a vida sexual dos brasileiros. Disto tenho certeza, pois o que mais vejo neste país são brasileiros fodendo outros brasileiros.
Para concluir, o Senador escreve:
"E agora mais ainda com a Lei Maria da Penha, pois mulher espancada, em vez de se submeter à sedução do marido, vai à delegacia." - eu diria que mulher espancada, em vez de se submeter à agressão do marido, vai à delegacia, pois espancamento não tem nada de sedutor, ainda que seja praticado pelo marido, nada tem de romântico. De qualquer modo, ficam registradas algumas opiniões minhas sobre a de José Sarney, num tema de extrema importância nacional: a relação entre sexo e crise econômica. Os mandos e desmandos de outros congressistas não nos interessa, a farra das passagens aéreas, a "CPI da Petrobras" ou as recentes negociações sino-brasileiras também não. Afinal, de um congressista como o Senador Sarney, com 70% de matérias legislativas sem nenhum impacto para a nação brasileira, o que se poderia esperar?
(Leia artigo de José Sarney clicando aqui).
P.S.: será que este blog será censurado, depois da publicação deste post, assim como aconteceu com outro blog lá do Amapá?

2 comentários:

  1. No final vc fez igual o Sarney
    "outro blog lá no Amapá".
    Que blog? Por que não citou?

    ResponderExcluir
  2. Nossa...Engraçado que o anônimo reclamou por você não ter citado o nome do blog.....
    Podemos reclamar pela falta de assinatura no comentário também?
    Oi anônimo, prazer, tudo bem? quem és tu? filho de alguém do Mranhão? Algum jornalista do Amapá? Ou um paparazzi? auhauhauhauhauhauh!!

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.