04/06/2009

Cigarro, campanha anti-fumo e ampliação de idéias

O cigarro continua queimando debates. Entre "contras" e "prós", os debates se tornam mais polêmicos. Ainda hoje, li um artigo citando pesquisas científicas que atestam a eficácia do uso das imagens contra o fumo nos maços de cigarro. No Brasil e em outros países tornou-se lei. Infelizmente, o artigo não citou nome de pesquisadores, nem onde foram feitas, nem métodos, nem nada.

Penso que boas idéias devem ser exploradas, e se tais imagens surtem efeito real para que fumantes deixem o vício, devemos ampliar as campanhas e usar em outros setores da sociedade bastante problemáticos. Minha primeira idéia de ampliação é o trânsito. Deve-se criar uma lei obrigando cada placa de sinalização de trânsito exibir uma imagem de algum acidente horrível. Desta maneira, ao mostrar vítimas de acidentes mortos ou com perda de braços e pernas, os motoristas seriam sensibilizados a não correr tanto pelas ruas e estradas e não dirigir como animais. Tal lei deveria ter uma obrigação específica para o Rio de Janeiro, onde carros deveriam sair de fábrica com imagens impressas no painel do veículo. Em outras cidades brasileiras seria necessário o mesmo recurso.

Infelizmente, estas imagens não teriam efeito aos motoristas bêbados, pois pouco conseguem ver a rua com pedestres e outros carros. Por isso a mesma tática deve ser usada nas garrafas de bebida alcoólica, trazendo imagens horripilantes de motoristas esfacelados por dirigir alcoolizado, de mulheres espancadas por maridos de porre, e assim por diante. Os alimentos com gorduras, açúcares e outros malefícios pra saúde, também deveriam trazer imagens de vítimas de enfarto fuminante, obesidade e todo o tipo de imagens capazes de "educar" o consumidor.

Os celulares idem. Pesquisas não divulgadas na mídia brasileira relacionam aparelhos celulares ao câncer. Assim, todo aparelho deveria trazer a imagem de um paciente vítima de câncer, com intuito de mostrar ao usuário o que o uso excessivo pode provocar. Até mesmo em camisas de times de futebol, as imagens de torcedores mortos ao lado do brasão do clube poderia conter a violência dentro e fora dos campos. Nas urnas eletrônicas de votação ou no título de eleitor deveriam existir imagens de hospitais que não funcionam, escolas que não ensinam, ruas esburacadas, políticos enriquecidos ilicitamente, com intenção de educar cada brasileiro de que o mau uso do voto pode causar estas calamidades. Nos livros escolares, poderiam ter imagens de pessoas com orelhas de burro, mostrando aos alunos: quem não estudar ficará burro. E assim por diante. É a socialização e a educação através das imagens, de eficácia comprovada cientificamente. O que é bom, deve ser copiado, ou não?

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.