18/08/2009

Como confiar no voto eletrônico?

Como Confiar No Voto Eletrônico

(Traduzido do original em inglês publicado no NY Times)

Urnas eletrônicas que não reproduzem cada voto em papel não podem ser confiáveis. Em 2008 mais de um terço dos estados, inclusive Nova Jérsei e Texas, não obrigavam todos os votos a serem impressos. O deputado Rush Holt apresentou um projeto de lei muito bom, que bane o voto eletrônico sem cédula, em todas as eleições federais. O congresso deve aprová-lo em tempo para 2010.

No voto eletrônico, os eleitores fazem suas escolhas e quando a urna é fechada, ela cospe um resultado. Não há como verificar se alguma falha ou fraude – do programa ou de um hacker – causou alguma mudança do resultado. Se a eleição for apertada, não há como conduzir uma recontagem legítima.
O projeto do sr. Holt requer que cédulas de papel sejam usadas para cada voto em novembro de 2010. Isso ajudaria os oficiais das eleições a melhorarem a tecnologia atualmente disponível: voto de escaneamento ótico. Com escaners óticos, os eleitores preenchem um papel que é lido por um computador – como os das provas padronizadas. Os votos são computados rapidamente e eficientemente por um computador, mas a cédula de papel continua sendo o voto oficial, que pode ser recontado manualmente.
A lei também requer que seja feita uma recontagem manual aleatória em três por cento das urnas nas eleições federais e mais em eleições apertadas. Essas recontagens manuais são importantes para manter a contagem eletrônica acurada.
A lei tem vários termos aditivos para facilitar a transição dos governos que sofrem de falta de dinheiro. Ela autoriza um bilhão de dólares em financiamento para substituir sistemas que não atendam as exigências e mais dinheiro para pagar pelas recontagens. Ela também dá um prazo extra para as atuais urnas, onde os eleitores escolhem seus candidatos como em uma máquina de um banco 24h, que emitem um recibo do voto no final do processo, terem seus prazos de validade expirados.
Tais máquinas são mais confiáveis que o voto sem cédula. Mas elas não são ideais, pois os eleitores nem sempre conferem a impressão para saberem se elas estão corretas. Até 2014, máquinas que produzem uma trilha de papel serão substituídas por outras em que o eleitor anota seu voto diretamente no papel – o melhor sistema de todos.
A liderança da casa deveria fazer da aprovação do projeto uma prioridade; poucas questões são tão importantes como a de se assegurar que o resultado de uma eleição seja confiável.
(Fonte da publicação: http://www.tijolaco.com/)

Um comentário:

  1. Marcelo, gostei da lembrança. Isso serve de mais um alerta pra época das eleições.
    Parabéns!

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.