06/08/2009

Tamiflu vira manchete diária, mas imprensa pouco ou nada explica na América Latina

"Quanto mais casos de morte por gripe suína são reportados na América Latina, maior é o tom alarmista da imprensa [...].
O Tamiflu é uma grande novidade para a maioria da população que desconhece esse remédio tão popular nos Estados Unidos. [...]
Críticas sobre potenciais efeitos adversos do Tamiflu também estão fora das manchetes, [...], como mostra uma reportagem do Japan Times publicada no dia 20 de março de 2007. O Japão é o país que mais compra Tamiflu e há dezenas de casos de suposto suicídio por pacientes que usavam Tamiflu.
Estudos sobre efeitos colaterais do Tamiflu em crianças e efeitos nocivos à pele também não fazem parte da cobertura.
No Brasil, [...] somente a rede pública de saúde podia receitar o Tamiflu. E até cinco dias atrás, os médicos da rede particular podiam receitar somente em casos avançados da doença. Agora, qualquer médico pode receitar Tamiflu de acordo com seus próprios critérios.
[...]
A falta de profundidade na cobertura da gripe suína não é exclusividade da América Latina. Há menos de duas semanas, o colunista do Los Angeles Times, James Rainey, criticou a superficialidade da imprensa americana, enquanto no Brasil diversas críticas tratam da irresponsabilidade dos jornais nas manchetes e notícias sobre a epidemia.
Muito pouco se fala ou se explica sobre o Tamiflu, uma espécie de santo graal da medicina atualmente em prática na América Latina contra a gripe."
(Trechos reproduzidos do original escrito por Paulo Rebêlo e publicado originalmente no Knight Center for Journalism in the Americas).
OBS: A Associação Brasileira da Indústria Farmacêutica (Abifarma) divulgou que, no Brasil, 50 pessoas morrem por dia por complicações causadas pela automedicação!

3 comentários:

  1. Bom dia, que vc tenha um fim de semana delicioso.
    bjsss

    ResponderExcluir
  2. Olá M.A.D.,

    O médico poderá receitar o Tamiflu se a pessoa apresentar sinais de agravamentos da doença. A prescrição ou não do medicamento não previstas no protocolo ficam sob responsabilidade conjunta do médico responsável pela prescrição e da autoridade de saúde local.
    No Portal Influenza você tem acesso aos protocolos emitidos pelo governo e à outras informações sobre o vírus Influenza A(H1N1).

    Para mais informações:

    fernanda.scavacini@saude.gov.br.
    Assessoria de Comunicação
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir
  3. Será que to ficando burra ou o ministério da saúde escreveu muito e não respondeu nada?!
    Que doido.....

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.