25/08/2009

Viva a fraude e Azeredo!

(Publicado no blog Tijolaço)
O senador Eduardo Azeredo abriu o jogo e proclamou o que todo mundo sabia. Vai tirar o voto impresso da reforma eleitoral. Ele acha que o povo brasileiro é composto de idiotas, que vamos engolir sem protesto o que gente como ele quer fazer com o direito da população de confiar que seu voto vale e não vai ser fraudado.
Suas declarações são falsas. Dizer que auditoria - e só em 2% das urnas, imagine - é retrocesso é servir a interesses inconfessáveis. Só falaram contra o voto impresso o Ministro de Todos os Governos e de Todos os Temas Nélson Jobim e, claro, o encarregado da eletrônica do TSE.
“Ficamos convencidos”, diz Azeredo. Mentira. Já estava. Ele enterrou o voto impresso da primeira vez, que foi autor do Projeto de Lei 1503/03, que foi sancionado como a Lei 10.740/03, como o auxílio de Nélson Jobim.
Não adianta ouvir os técnicos independentes, as decisões dos tribunais de países desenvolvidos, os jornais do mundo inteiro. Eles são os donos da urna e pronto!
Eles podem nos vencer, mas não vão nos vencer sem luta. Amanhã trago mais material aqui, desta vez produzido pela prestigiadíssima Universidade de Princeton, mostrando como se fraudam urnas eletrônicas. Vou falar um a um com os senadores e entregar-lhe cópias dos estudos e matérias dos jornais, tribunais e cientistas, “irrelevantes” para os senhores Jobim e Azeredo.
O Senador Azeredo, que diz que foram fraudados os documentos que indicam que ele recebeu dinheiro de Marcos Valério, acha que basta sempre a sua palavra. Fatos e argumentos não valem nada. Se der problema, é só dizer que não sabia de nada. Vamos ver o que dirá ao Ministro Joaquim Barbosa, que relata o processo em que é denunciado.
Leia aqui sobre a situação do homem que diz que não é preciso auditar as urnas eletrônicas.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.