10/11/2009

América Latina é o X

Ontem assisti muitas reportagens sobre a queda do muro de Berlim, evento que se tornou famoso até por ser bastante simbólico: um muro. Tornou-se mais fácil cobrir os 20 anos da queda do muro que os 70 anos da Segunda Guerra, embora isto não seja desculpa. Mas o que fez acender minha luz de alerta foi a reportagem da Globo, dizendo que o fim das Alemanhas representava o fim de regimes truculentos.
Em verdade, os regimes truculentos referidos foram os comunistas ou stalinistas e não a social-democracia ou a democracia liberal, neoliberal ou qualquer outro nome que venha a ter. Se os regimes comunistas ou stalinistas acabaram e com eles enterraram sua opressão e seus golpes, sabemos que a opressão golpista, em si, ainda vive.
Basta olhar para Honduras e os golpistas de direita (democráticos, capitalistas, meritocratas ou sei lá o quê). Agora é a vez do Paraguai, assim como a Venezuela também sente-se ameaçada. Será que neste momento de crise financeira mundial, a América Latina tornou-se o alvo de velhas manobras golpistas? Vale conferir o texto escrito por Marco Aurélio Weissheimer sobre o Paraguai:
.
Paraguai: uma nova Honduras?
O governo de Fernando Lugo está sob forte ataque da direita paraguaia. O objetivo declarado é um só: derrubá-lo do poder. Em um artigo publicado no semanário Pulso, da Bolívia, o jornalista Pablo Stefanoni relata as dificuldades do novo governo que assumiu um país que, até então, era “governado por máfias de todos os níveis, dedicadas a todo tipo de tráficos, contrabando e ilegalidades diversas, amparadas por um poder com o qual compartilhavam o botim. Ou simplesmente eram as máfias que exerciam, sem intermediários, o poder”.
Há duas semanas, relata Stefanoni, foi tornado público o conteúdo de um email de um pecuarista chileno de nome Avilés, residente no Paraguai há mais de 30 anos, que propõe a arrecadação de uma contribuição financeira entre seus pares empresariais para comprar armamentos, formar milícias e identificar e matar comunistas. “Do mesmo modo que ocorreu em Honduras com as pequenas reformas de Manuel Zelaya, a rançosa elite paraguaia não suporta o ex-bispo como presidente. Só um parâmetro: fazer um simples cadastro das propriedades agrícolas já é uma medida revolucionária no Paraguai, onde latifundiários e brasiguaios (filhos de brasileiros nascidos no Paraguai) controlam suas fazendas na ponta de escopetas. Além disso, em setembro, Lugo anunciou o cancelamento de exercícios militares que seriam realizados por 500 militares dos Estados Unidos e efetivos do Paraguai, programados para 2010 sob o nome de “Novos Horizontes”.
Um pecado mortal de Lugo. No email enviado a seus pares, o pecuarista chileno convoca:
"Até quando teremos que esperar para combater estes comunistas filhos da puta que estão querendo destruir nosso querido Paraguai, como fizeram os Allendistas no Chile, desde 1968, até o 11 de setembro de 1974, ou então nos convertermos em uma Nova Colômbia. Quantos pais, irmãos e filhos teremos que enterrar para poder reagir. Quanto luto e dor terão que suportar nossas mães, esposas ou filhas antes de liquidar esta peste representada pelos subversivos comunistas? (…) É hora de perseguir, capturar e liquidar fisicamente a todos os comunistas que atentam contra nossas vidas e posses”
.
.
Enfim, se o ódio contra os semitas acabou, é certo que o velho ódio contra os comunistas não, ainda promovido pelas velhas oligarquias de poder e com apoio da mídia, em sua maioria.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.