10/12/2009

Parabéns Paes e Cabral


Congratulações. Os políticos cariocas merecem. Estou tão feliz que estou quase transbordando. Cabral e Beltrame contestam o relatório que diz que as polícias do Rio e de São Paulo são as que mais matam no mundo. Aliás, quem diz isso são os dados estatísticos. Caso os referidos políticos tenham outros dados para apresentar, que realmente prove que o relatório está exagerando, que por favor, nos apresente.


Acho que é importante dizer que estou escrevendo este artigo logo após me refugiar na cozinha de minha casa. Sim, porque a cozinha é a parte mais isolada do apartamento e as chances de levar um tiro, neste local, são menores. Onde moro? Em Engenho de Dentro, próximo ao estádio do Engenhão, e posso dizer que o bairro não era assim, como está agora. Comecei a ouvir tiros semanalmente, quando não diariamente, após a instalação das UPP's na zona sul, antes mesmo de bandidos derrubarem aquele helicóptero.

Parabéns também ao senhor Eduardo Paes, que conseguiu aprovar a lei que ele, prefeito, queria aprovar: taxa da iluminação pública. Mas não fez isso sozinho, pois obteve o apoio da maioria de uma câmara que apresenta apenas 93% de irrelevância para o município. Pode o senhor Paes fazer como Cabral, contestar os dados estatísticos da Transparência Brasil e apresentar dados que "desmintam" o estudo. Estou no aguardo.


Se eu fosse inumerar aqui, os problemas estaduais e municipais que assolam o Rio de Janeiro, acabaria escrevendo um livro, e não um artigo. Mas sou apenas um cidadão, cansado de falar apenas para o vento. Não que a cidade tenha de fazer o que eu quero, não é mesmo Paes e Cabral? Apenas estou cansado de lutar contra a inevitável estupidez brasileira. Tudo isso acontecendo na cidade mais feliz do mundo, o Rio, segundo a Forbes.

Mais uma taxa para eu pagar, sem que tenhamos educação considerável, atendimento público hospitalar, ruas sem buracos, segurança pública e administração política por inteiro. Sim, digo por inteiro, porque o Rio de Janeiro é a cidade partida, e só se administra a Zona Sul, mesmo que o prefeito tenha sido eleito com apoio majoritário da Zona Oeste e Zona Norte. O povo vota e paga para não ver benefício, ou melhor, um ou outro fragmento, aqui e ali.

Na prática, tudo o que vejo é o dinheiro público pagando obras super-faturadas como o Engenhão, a Cidade da Música (ex-Roberto Marinho) e assim por diante. O maior clube de futebol do país devendo 400 milhões de reais. Gente (que nunca é presa) na Barra da Tijuca que não trabalha, mas enriquece vendendo ingressos através de cambistas (vez ou outra são presos). A cidade repleta de lixo e cheiro de esgoto (menos na Zona Sul). Nesse aspecto tenho de concordar que a responsabilidade não é só dos políticos, é de todos.

Enfim, ando cansado de ter esperança de ver melhorias efetivas na cidade; cansado de tentar movimentar cidadãos que só se mexem para comprar ingressos de futebol. E logo vou pedindo desculpas aos moradores que lutam e fazem por merecer o substantivo 'cidadão'. Não me esqueci do trabalho de vocês, apenas estou desanimado com o circo que vejo, posso mesmo estar escrevendo besteiras. Quem sabe amanhã eu acorde como o cidadão mais feliz do mundo e seja digno de morar no Rio de Janeiro. Quem sabe.

Um comentário:

  1. Pois é...Pena que as pessoas estavam preocupadas demais com o hexa do Flamengo.
    Agora, todos nós vamos pagar mais uma taxa. Pagamos pouco, né?
    Espero que as pessoas que leêm o Comunica Tudo ajudem a espalhar esta notícia.

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.