15/12/2009

Publicidade Infantil Não


São 112 instituições reunidas num manifesto claro e objetivo, pelo fim da publicidade e comunicação mercadológica dirigida ao público infantil. O manifesto está recolhendo assinaturas on-line e, até o presente momento, conta com 3.916 assinaturas. O motivo pode até soar estranho em alguns ouvidos, mas garanto que o assunto é da maior importância e merece ser pensado e avaliado por todos os cidadãos deste país.
Em abril de 2009 o Comunica Tudo já havia colocado uma postagem sobre um documentário esclarecedor, chamado Criança: a alma do negócio. Basta clicar no título para assistir todos os vídeos. Qualquer pessoa que ainda não tenha visto irá se surpreender com sua própria postura diante das crianças. O marketing empresarial não perde tempo para atingir seus objetivos: vender e vender cada vez mais. O grande X da questão é: como isso é feito?
Outro importante documentário sobre o assunto é o Consuming Kids (Consumindo Crianças), feito em 2008 nos EUA. Peço que você, caro leitor, veja os documentários primeiro e depois decida por assinar ou não este manifesto. Não me importo com números e não sou partidário do "quanto mais, melhor". Sou favorável ao quanto mais consciente, melhor. Leia um trecho da justificativa deste manifesto:
"A criança é hipervulnerável. Ainda está em processo de desenvolvimento bio-físico e psíquico. Por isso, não possui a totalidade das habilidades necessárias para o desempenho de uma adequada interpretação crítica dos inúmeros apelos mercadológicos que lhe são especialmente dirigidos."
O Brasil é um dos poucos países do mundo que não tem regulamentação específica para a publicidade infantil. Algumas empresas chegaram a se reunir e prometer regularem, por si só, a publicidade infantil, quando perceberam o crescente movimento de conscientização na internet. A reunião e a pseudo-proposta chegou a ser noticiada no jornal O Globo e outros jornais. Mas queremos mais do que falsas ações, queremos regulamentar a publicidade infantil com a participação de instituições e cidadãos interessados.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.