22/12/2009

Uma Universidade Nômade

Numa dessas ocasiões em que procuramos algo e encontramos outra coisa, é que se deu essa minha descoberta. Talvez não seja a descoberta do século, mas adorei tudo o que vi. Creio que muitos irão admirar também.

Esse projeto surgiu na Espanha e, sendo assim, tem a maioria dos textos em espanhol. Nada difícil de traduzir na esfera virtual. O nome exato é Universidade Invisibel, com B mesmo, mas escolhi outro nome para o título, para que não fosse confundido com outros projetos brasileiros.

Recomendo, primeiramente, a leitura cuidadosa do texto de apresentação, que eu mesmo traduzi dos originais em inglês e espanhol. Espero que a tradução tenha ficado satisfatória. Depois, penso que o leitor deva fazer um passeio pelo sítio da Universidade Invisibel. Como um pequeno tira-gosto, coloco logo após o texto de apresentação, um vídeo que se encontra dentro de um dos projetos dessa Universidade, chamado O Teatro Resoante. Aproveitem.

Que é a Universidade Invisíbel? 

A Universidade Invisibel é uma experiência sobre os campos institucionais e culturais de produção. Não é uma organização usual; o Invisibel descreve-se como uma “rede viral”, uma multiplicidade comum que se transforma numa incorporação descentralizada, que tenta contribuir para expandir as novas maneiras de relacionamentos, que emergem dos debates e discursos novos, coordenando muitos projetos do ensino alternativo, intervenções metropolitanas e artísticas, crítico-institucional, ativismo e experimentação epistemológica e conceitual.

Este tipo de invisibilidade refere-se a um quadro inteiro de relações não reconhecidas normativamente, não obstante, atravessam a produção de poder e conhecimento. Além do modelo industrial, a produção do conhecimento, os estilos de vida, a semiótica, a criatividade e a elaboração de relacionamentos sociais e afetivos, este quadro está se transformando na linha central da produção social. Este tipo de criatividade imaterial não pode funcionar senão excedendo os limites institucionais, expandindo-se no espaço urbano e virtual de maneira coletiva. A produção começa a dar forma a um intertexto social que quebra a dicotomia público/privado, transgredindo os confinamentos que separam e distinguem um tempo e um lugar de trabalho e um tempo e um lugar de recomposição, porque as relações, o conhecimento, as idéias, os cuidados e as afeições são produzidos em um tempo-espaço físico e virtual, ao mesmo tempo.

Além disso, o Invisibel ocupa um espaço que problematiza a invisibilidade, crescendo e expandindo entre lugares institucionais, crescendo entre relações co-constitutivas do conhecimento que as patentes e o muro negam.

O Invisibel ocorre no meio da academia, das instituições artísticas, dos movimentos sociais, das intervenções urbanas e das atividades renovadoras. Isso porque muitos professores pesquisam e produtores e profissionais culturais lançam o projeto da Universidade Invisibel. Em todo caso, nós podemos mencionar o Invisibel como uma “instituição monstro”. Em um momento no qual a produção imaterial venera os limites das diversas instituições produtoras, a alternativa do conhecimento crítico tem que experimentar maneiras ‘contra-natura’, que reconfigurem os códigos e as funções dos dispositivos através dos quais a criatividade social expresse um formulário transversal.

·    Atualmente, a Universidade Invisíbel reúne projetos diferentes tais como Proxecto Derriba, Ergosfera, Caosmosis, O Teatro Resoante e vírus Hermenéutico.


Veja o vídeo abaixo ou clique AQUI.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.