31/12/2009

VIVO reclamando - Parte 2

A solicitação de desbloqueio de um aparelho celular, por si só, já significa a despedida do usuário com sua operadora de telefonia móvel. Por qual outro motivo iria-se desejar tal desbloqueio, senão para trocar de operadora? Eu, assim como tantos outros cidadãos brasileiros, costumamos encontrar dificuldades nesse momento. Em caso de dúvida, basta pesquisa desbloqueio de celular no sítio Reclame Aqui.
Segundo a regulamentação da ANATEL, não se pode cobrar pelo desbloqueio de um aparelho celular, ou melhor, não se pode mais. Além disso, não existe nenhuma outra regulamentação e a ANATEL deixa demais procedimentos a cargo das operadoras. Em outras palavras, elas procedem do modo que entendem como sendo o melhor. Meu questionamento com a operadora VIVO foi apenas um: "onde está a lei que me obriga a apresentar nota fiscal do aparelho para desbloqueá-lo?"
Shirlei, uma funcionária da VIVO, entrou em contato comigo por celular dia 29 e 30 de dezembro de 2009. Na última ligação, em resposta ao meu questionamento, a funcionária da VIVO perguntou: "e onde está a lei que te desobriga a apresentar a nota fiscal do aparelho? A VIVO continuará mantendo seu posicionamento."
Meu chará, Marcelo Tas, ganha um bom dinheiro (e justo, diga-se de passagem), para fazer publicidade do VIVO TWITTANDO. Esse Marcelo aqui (que não é Tas), paga uma quantia considerável por uma das mais altas taxas de telefonia móvel do mundo para ser mal atendido, assim como tantos outros cidadãos brasileiros.
Em meu leigo entendimento, se a ANATEL não fez regulamentações específicas para o desbloqueio, deixando a cargo das operadoras, penso que as operadoras poderiam estudar casos diferentes e adotar procedimentos diferentes. Uma empresa dialógica deveria ser assim, mas esse não é o caso. A VIVO é adepta do monólogo, infelizmente.
O fato é que ontem mesmo, solicitei a portabilidade da minha linha telefônica e de minha esposa para outra operadora, o que deve ser concretizado dentro de cinco dias. Quanto aos aparelhos? Não terei encargos financeiros e não mais preciso do desbloqueio. Quanto à VIVO? Criou-me dificuldades para o desbloqueio, mandei e-mails para a operadora, fiz uma reclamação no Reclame Aqui, postagem neste blog e mais duas solicitações na ANATEL. Resultado? Não consegui o desbloqueio, mas resolvi meu problema, por outros meios.
No mais, quero compartilhar com vocês, caros leitores, algo interessante. Observem como a VIVO trata seus clientes. São fatos reais que apresento, registrados e facilmente comprovados. Percebam como se dá cada ação e reação entre mim e a VIVO.
EU: solicitação de desbloqueio - 12/12/2009
VIVO: resposta para solicitação - 19/12/2009 (7 dias depois)

EU: nova resposta - 19/12/2009
VIVO: resposta - 28/12/2009 (11 dias depois)
EU: outra resposta com anexos no Reclame Aqui, post no blog e queixa na ANATEL - 28/12/2009
VIVO: ligação por celular para falar sobre o problema - 17 horas depois, 29/12/2009.

EU: depois do diálogo com a VIVO, entro com nova queixa na ANATEL, requisitando esclarecimento legal que confirme as ações da VIVO. Quero saber qual a resolução da ANATEL que confirma as ações da VIVO perante minha solicitação - 29/12/2009.
VIVO: nova ligação por celular para falar sobre o problema, sem resolvê-lo, mantendo seu posicionamento - 12 horas depois, 30/12/2009.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.