24/01/2010

As tintas para tatuagem

Tudo começou numa pesquisa. Minha mulher está adquirindo equipamentos para tatuagem e estou auxiliando nessa pesquisa mercadológica. Sem maiores problemas. Mas algo chamou minha atenção em toda essa incursão pelo mundo das tattoos: a língua portuguesa e as tintas para tatuagem. 

Inúmeras páginas virtuais de tatuadores conceituados no mercado possuem erros de português. Veja bem, compreendo que todos são passíveis de erro (assim como eu), e não costumo implicar com um erro ou outro. O problema é que num mesmo texto encontro erros grosseiros, que qualquer editor de texto seria capaz de corrigir, como por exemplo "cosseira", em vez de coceira.

Mas o principal ponto que atraiu minha atenção foram as tintas para tatuagem. Observei que muitas das que são comercializadas tem uma aparência de "feita em casa". O assunto é delicado e merece um olhar mais atento, pois essas tintas, com toda sua composição, penetram através da pele e chegam ao organismo.

Numa breve pesquisa notei que existem outras pessoas preocupadas com o tema. Ao contrário do que se possa pensar, as tintas não tem componentes vegetais. Normalmente possuem elementos químicos como ferro e plástico. Esses elementos, em baixas quantidades esporádicas, não chegam a afetar a saúde do tatuado, mas poderia representar sérios danos para o profissional descuidado, assim como para um pintor de quadros, ao usar tintas com esses elementos.

Fosse apenas isso, o assunto nem mereceria atenção. Mas acontece que muitas tintas comercializadas pelo país não passam por vigilância. Salvo engano, parece que a ANVISA está tentando regulamentar este setor do mercado, mas ainda não sei como isso funciona exatamente na prática. Sei é que são comercializadas tintas misturadas com água e até mesmo algumas que seguem o modelo "feito em casa", mas recebem o rótulo com nome de empresa. Existem poucas marcas que recebem certificação, pelo que pude notar.

Normalmente, o sujeito que deseja fazer tatuagem preocupa-se com a capacidade de desenho do tatuador, com a esterilização do equipamento e o uso de agulhas descartáveis. Mas o item tintas acaba passando em branco. As tintas de má qualidade, além de causar danos e alergias, tem um péssimo resultado artístico. Pretendo investigar melhor esse assunto e colocar aqui mais informações em breve. Por hora, fica a sugestão: pergunte ao seu tatuador que tipo de tinta ele usa, importada ou nacional, qual o fabricante e se possui certificação.

(Foto que fiz da tatuadora Elisa Nobre em 2009).

14 comentários:

  1. Realmente é um assunto delicado. Temos muitas tintas importadas no mercado mas como saber se elas passam por algum processo de 'batizado' antes de chegar às nossas bancadas?! Eu como tatuadora procuro usar somente as tintas brasileiras, algumas marcar já tem certificado da ANVISA e é muito mais fácil recorrer se houver algum problema. Em breve o mercado da tatuagem mudará bastante devido à essa recente preocupação do órgão acima citado, pelo menos espero que assim seja!

    ResponderExcluir
  2. Marcelo, foi ótimo você comentar a respeito desse tema. Estou planejando fazer uma tatuagem, a primeira, mas me atentei estritamente nas questões de higiene e profissionalismo do tatuador, nunca sequer passou pela minha cabeça a questão das tintas…. tomarei mais cuidado. Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelo comentário, Elisa, nossa "Nobre" tatuadora e amiga.
    Clayton, pessoalmente, esse assunto sobre a qualidade das tintas também só me ocorreu com essa pesquisa, e nunca tinha passado antes por minha cabeça, embora eu ainda não tenha tatuagens pelo corpo.
    É um assunto muito sério e pouco tratado pela mídia.

    ResponderExcluir
  4. To muito afim de continuar pesquisando sobre o assunto. Esse texto vai abrir muitas portas para os tatuadores que estão realmente preocupados com a qualidade das tintas.
    Há muita preocupação estética e pouca sanitária e química.
    Obrigada !

    ResponderExcluir
  5. Hoje a tatuagem antes de ser encarada como uma questão estética deve ser observada como uma questão de Saúde Pública, tendo em vista o grande aumento da Hepatite C em todas as camadas da população sendo que os procedimentos em Tatuagem, Body Piercing, Podologia e Estética em geral, são vetores da disseminação desta grave doença e demais transmissíveis pelo Sangue.

    Felizmente, a ANVISA, através da Consulta Pública nº 79, de 20 de novembro de 2006, abriu a discussão sobre o tema e em agosto de 2008, a Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, através da RDC Nº 55, - 6/8/2008, regulamentou o comércio e fabricação de insumos para a área de Dermopigmentação que abrange a tatuagem estética e reparadora, exigido adequação técnica como produtos de saúde.

    Hoje já contamos com fabricantes sérios que adequaram suas indústrias às normas exigidas e estão trabalhando neste momento para a correta análise de seus produtos tanto em nível de pigmentos como de seus diluentes, colocando o Brasil como um dos únicos países no mundo a regulamentar em nível governamental a prática da tatuagem.

    Sobre a segurança da prática é importante salientar que independente do uso de tintas de qualidade, seu armazenamento e fração para o uso devem ser muito bem observados, sendo o ideal que as tintas para tatuagem, além de serem reguladas, também fossem comercializadas em dose única, evitando desta forma a contaminação cruzada, pois os tubos compartilhados, se não forem muito bem manipulados podem se tornar incubadores de patógenos.

    Outra questão vital para a boa prática seria a adoção obrigatória de instrumentos não somente estéreis, mas descartáveis. Temos no Brasil o belo exemplo do primeiro bico descartável patenteado e produzido no mundo (Descarttoo), criado pelo Ex. Diretor do Hospital das Clínicas de São Paulo, Marco Reple Gaia, um odontólogo renomado que se preocupou com a questão e bancou o desenvolvimento dos instrumentos, acreditando erradicar nos estúdios, as complicações decorrentes da má esterilização, manipulação indevida e contaminação cruzada do ambiente e profissionais que fazem a limpeza dos bicos reutilizáveis.

    Portanto, a problemática da tatuagem vai muito além das tintas, que na verdade, em pesquisas recentes tem mostrado que os pigmentos mais seguros são justamente os sintéticos de base plástica, sendo que o único pigmento para tatuagem aprovado pelo FDA, equivalente da Anvisa brasileira nos Estados Unidos, é justamente uma tinta encapsulada em polímero, além de que os pigmentos à base de óxidos de ferro são os tidos como seguros para maquiagem definitiva por terem melhor compatibilidade orgânica. Independente da segurança de um determinado pigmento, nunca haverá realmente uma tinta 100% segura, pois reações alérgicas sempre podem ocorrer a curto ou longo prazo quando se insere no organismo um corpo estranho, sendo que a tolerância a determinada substância varia de indivíduo para indivíduo.

    Como no Brasil, infelizmente o problema maior é a falta de cultura, a ampla adoção dos bicos descartáveis pelos profissionais da área ainda não existe, mas esperamos que a própria Sociedade, saiba e aprenda a entender os riscos dos quais vão se submeter num gabinete de tatuagem, exigindo assim, sua própria segurança.

    Através de campanhas de conscientização e melhor preparo dos profissionais, teremos num futuro breve a arte da tatuagem brasileira reconhecida não somente pela beleza do trabalho nacional que já é referência mundial, mas como o país que trouxe a segurança para a área.

    Atenciosamente,
    Leonardo Delpino, criador do primeiro curso por EAD de tatuagem em língua portuguesa. www.vts.art.br

    ResponderExcluir
  6. ola , tenho 6 tatuagens... e hj estava pequisando sobre componentes quimicos das tintas. Alguns dias atras fiquei sabendo que possuem ferro ... estou pesquisando ainda , mas vc poderia me informar se nas suas pesquisas viu se elas causam pedra nos rins ? tenho alguns calculos, e ja fiz todo o tipo de studo medico possivel para descobrir a origem desses calculos ... mas nenhum medico descobre . Conversando c uma pessoa desconhecida , no outro dia , é q ela me disse q eram das minhas tatuagens... sera q isso procede ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações!

      paola, não procede e é um absurdo o que falaram pra você. Vejabem, você me parece uma péssoa esclarecida, então vamos analisar de forma inteligente.
      Aonde fica depositado o pigmento utilizado em tattoo? Na segunda camada de pele, a derme.
      Muito bem, o pigmento não sai de lá. Ele é mineral extamente por que suas particulas são maiores, igauis a minusculos grãos...eles ficam na derme e de la não saem, não espalham...isso garante a beleza estetica da tatuagem.
      Pois bem, então esse mineral não entra na circulação sanguinea...o que vai para o sangue é o diluente da tinta, afinal ela é dispersa e não soluvel.
      Resumindo, só se o diluente te fizer mal, mas duvido porque hoje em dia é tudo regulamento pelos orgãos de saude do mundo inteiro.
      Então pode ter certeza, só se você injetar a tinta na veia é que vai ter problema...ou se não for tinta de tatuagem, ai é outra história....

      Excluir
  7. Por tudo que sei, esses elementos químicos fazem mal, mas em uso contínuo e depois de certo tempo, os malefícios aparecem. Pode ser que numa altíssima dosagem também. O ideal é analisar os componentes que causam as tais pedras e observar de onde você as consome. Creio que 6 tatuagens não são suficientes para causar mal. Talvez, valha fazer um teste de alergias também. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que faz mal toda gente faz e encher o cu de bebida alcolica e depois sair com um carro e acabar com a vida alheia mas todo mundo continua bebendo e acha muito bonito se vende em todo lugar e nao fazem nada e agora um profissional que quer ganhar a vida honestamente trabalhando vem o governo com normas e vcs seus hipocritas com essas conversas de merda de se preocuparem com o corpo ja viram o como fica um figado de um cachaceiro(de fim de semana) pra vim com essa conversa de que o ferro que supostamente teria na tinta da tatuagem prejudica a saude

      Excluir
    2. Um mal não exclui o outro, mas se seu cérebro, em vez de dialogar e aprender, só funciona por exclusão como ferramenta de auto-defesa, que seja. Alcoolismo mata, assim como tantas outras substâncias químicas. O que proponho é um debate.

      Cada um é livre para fazer o que bem entender, mas todos devem respeitar as regulamentações feitas ou não pelo estado. Se até a Coca-cola desrespeita os consumidores ao adicionar substâncias químicas proibidas no refrigerante, imagine fabricantes de tinta que nem possuem fiscalização ou regulamentação sobre elas:

      "No Brasil, a Coca-Cola dá sua contribuição para a elevação da doença. Em vez de aspartame, "o refrigerante da felicidade" prefere o ciclamato — suspeito de causar câncer e atrofia nos testículos, mas quinze vezes mais barato. Coca-Cola Zero é isso aí."
      http://comunicatudo.blogspot.com.br/2012/01/as-rapidinhas-do-sr-comunica-15012012.html

      No mais, obrigado por enriquecer o debate.

      Excluir
  8. Flávio Destro13/03/2011 01:10

    Ai,ai,ai...tatuo a 22 anos e jamais vi algo tão absurdo em nosso meio como vemos todos os dias em consultorios odontologicos e hospitais, peincipalmente publicos...e ai os tatuadores e seu material, muitas vezes milenar acabam como carrascos....tintas com ferro?...todos os pigmentos para tattoo são de origem mineral (ao contrario da lenda do "vegetal", o que não deixaria de causar riscos a saude)....por exemplo, o branco é dióxido de titãneo....vejam, a sua pasta de dente, o comprimido para dor de cabeça, um docinho industrializado provavelmente possuem dióxido de titâneo em sua composição...vão deixar de come-los?
    Quanto ao registro na ANVASI só pode ser piada...a Star brite foi proibida em varios paises da Europa, de longe muito mais sérios do que o Brasil...em compensação é atualmente a unica tinta importada liberada pela ANVISA para comercialização...quem conhece a tintura boa para pele não é nem um dermatologista, que sequer sabe a composição (antigamente batiamos tintas todos os dias, e nunca deu problema), mas sim o tatuador mais antigo, que podem acreditar, não comete esses erros mediocres ...muito menos contribui para o monopolio dos materiais de tauagem...cai na real meu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deveria ler mais e tatuar menos então...
      http://chemistry.about.com/library/weekly/aa121602a.htm

      Tattoo Pigment Chemistry
      The oldest pigments came from using ground up minerals and carbon black. Today's pigments include the original mineral pigments, modern industrial organic pigments, a few vegetable-based pigments, and some plastic-based pigments. Allergic reactions, scarring, phototoxic reactions (i.e., reaction from exposure to light, especially sunlight), and other adverse effects are possible with many pigments. The plastic-based pigments are very intensely colored, but many people have reported reactions to them. There are also pigments that glow in the dark or in response to black (ultraviolet) light. These pigments are notoriously risky - some may be safe, but others are radioactive or otherwise toxic.

      Here's a table listing the colors of common pigments use in tattoo inks. It isn't exhaustive - pretty much anything that can be used as a pigment has been at some time. Also, many inks mix one or more pigment:

      Compostion of Tattoo Pigments
      Color
      Materials
      Comment
      Black Iron Oxide (Fe3O4)
      Iron Oxide (FeO)

      Carbon

      Logwood

      Natural black pigment is made from magnetite crystals, powdered jet, wustite, bone black,and amorphous carbon from combustion (soot). Black pigment is commonly made into India ink.
      Logwood is a heartwood extract from Haematoxylon campechisnum, found in Central America and the West Indies.

      Brown Ochre Ochre is composed of iron (ferric) oxides mixed with clay. Raw ochre is yellowish. When dehydrated through heating, ochre changes to a reddish color.
      Red Cinnabar (HgS)
      Cadmium Red (CdSe)

      Iron Oxide (Fe2O3)

      Napthol-AS pigment

      Iron oxide is also known as common rust. Cinnabar and cadmium pigments are highly toxic. Napthol reds are synthesized from Naptha. Fewer reactions have been reported with naphthol red than the other pigments, but all reds carry risks of allergic or other reactions.
      Orange disazodiarylide and/or disazopyrazolone
      cadmium seleno-sulfide

      The organics are formed from the condensation of 2 monoazo pigment molecules. They are large molecules with good thermal stability and colorfastness.
      Flesh Ochres (iron oxides mixed with clay)
      Yellow Cadmium Yellow (CdS, CdZnS)
      Ochres

      Curcuma Yellow

      Chrome Yellow (PbCrO4, often mixed with PbS)

      disazodiarylide

      Curcuma is derived from plants of the ginger family; aka tumeric or curcurmin. Reactions are commonly associated with yellow pigments, in part because more pigment is needed to achieve a bright color.
      Green Chromium Oxide (Cr2O3), called Casalis Green or Anadomis Green
      Malachite [Cu2(CO3)(OH)2]

      Ferrocyanides and Ferricyanides

      Lead chromate

      Monoazo pigment

      Cu/Al phthalocyanine

      Cu phthalocyanine

      The greens often include admixtures, such as potassium ferrocyanide (yellow or red) and ferric ferrocyanide (Prussian Blue)
      Blue Azure Blue
      Cobalt Blue

      Cu-phthalocyanine

      Blue pigments from minerals include copper (II) carbonate (azurite), sodium aluminum silicate (lapis lazuli), calcium copper silicate (Egyptian Blue), other cobalt aluminum oxides and chromium oxides. The safest blues and greens are copper salts, such as copper pthalocyanine. Copper pthalocyanine pigments have FDA approval for use in infant furniture and toys and contact lenses. The copper-based pigments are considerably safer or more stable than cobalt or ultramarine pigments.
      Violet Manganese Violet (manganese ammonium pyrophosphate)
      Various aluminum salts

      Quinacridone

      Dioxazine/carbazole

      Some of the purples, especially the bright magentas, are photoreactive and lose their color after prolonged exposure to light. Dioxazine and carbazole result in the most stable purple pigments.
      White Lead White (Lead Carbonate)
      Titanium dioxide (TiO2)

      Barium Sulfate (BaSO4)

      Zinc Oxide

      Some white pigments are derived from anatase or rutile. White pigment may be used alone or to dilute the intensity of other pigments. Titanium oxides are one of the least reactive white pigments.

      Excluir
  9. A ANVIZA QUER PROIBIR AGENTE DE IMPORTAR MATERIAIS DE TATUAGEM DE OUTROS PAISES INCLUSIVE FIZ UMA COMPRA E ESTAR PRESA,NÃO INTENDO É A MESMA MARCA QUE VENDE EM LOJAS BRASILEIRAS SÓ Q UMA MAQUINA CUSTA 40,00 REAIS FORA E A MESMA MAQUINA CUSTA 400,OO AKI NO BRASIL É UM ABSURDO ELES PODEM IMPORTAR E AGENTE NÃO QUE LEI É ESSA ELES ESTÃO RESSEBENDO POR DEBAIXO DO PANO PRA FASER VISTA GROSSA PARA AS LOJAS QUERO MEUS DIREITOS ...

    ResponderExcluir
  10. Acho a questão da fiscalização importante , porem como tudo neste pais é feito de qualquer maneira.os profissionais da areá de tatuagem estão sendo prejudicados.
    Marcas conceituadas e comercializadas a anos no exterior( quena minha opinião são melhor eres que essas nacional com registro) com aprovação do FDA não podem ser usadas aqui no Brasil devido ao fato de não estarem registradas na ANVISA, e o registro só pode ser feito por pessoa jurídica o que dificulta o processo e encarece o mesmo , e ao mesmo tempo apenas uma marca brasileira tem esta autorização e não se sabe os critérios que são usados para poder regulamentar uma marca , uma coisa eu sei a qualidade não é levada em consideração , pois a unica marca registrada é horrível em contra partida as marcas importadas conceituadas que seguem altos padrões de controle de qualidade não podem ser usadas por nos profissionais.
    Não temos o direito de escolha estamos sujeitos apenas uma marca horrível nacional.
    Se uma tinta pode ser usada nos Estados Unidos que tem tradição no segmento da industria da tatuagem e um rigor altíssimo de controle de qualidade , por que não pode ser usada aqui no Neste pais.
    Temos que oferecer o melhor para nossos clientes , porem não podemos por que o governo nos obriga a se sujeitar a apenas uma marca brasileira.

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.