30/01/2010

João Cabral: Artista Inconfessável

Documentário realizado pela Editora Alfaguara para comemorar o relançamento da obra de João Cabral. O vídeo traz depoimentos de personalidades como Chico Buarque, Luis Fernando Verissimo, Ferreira Gullar, Carlos Heitor Cony, entre outros.

Veja os vídeos abaixo ou clique para ver a PARTE 1 e a PARTE 2.






Um comentário:

  1. Emerson Sitta30/01/2010 13:55

    Global. Este seria um belo adjetivo para este vídeo ou projeto de documentário. Deve ser apenas uma promoção. Não pode ser outra coisa.
    Exceto os comentários de poetas como Ferreira Gullar e Adélia Prado, o restante é uma leitura improvisada, repetidora e imprecisa.
    Ouvir o Veríssimo falando sobre Cabral é quase uma anedota. Quando diz então que Drummond é suculento é um equívoco tão grande que não sei a que comparar. Drummond foi tantos, poeta de uma história de vida pessoal e social. Drummond voluntariamente era lírico, mas subersivo e inventor quando questionado.
    Chico Buarque sim acerta quando não quer comparar, mas quando lê Cabral parece que ele é o melhor mesmo.
    O pior deles deve ser o Cony, escritor medíocre, no sentido de ser realmente mediano. Apenas diz história e nada questiona. Afirmar que Cabral não queria pertencer à geração de 45 apenas. Basta. Qualquer livro didático de ensino médio traz essa informação.
    Sobre os leitores comuns, ideia interessante. Mas precisava ser o Lázaro Ramos. Procura alguém mais comum que tenha uma leitura mais simples, que vive fora do meio artístico. Um popular nordestino teria mais efeito, talvez.
    Faltaram peças importantes para falar sobre Cabral. Não há como deixar de lado Secchin, Costa Lima e Benedito Nunes. Esses autores não leram uma obra, um poema, mas toda a obra de Cabral. Quanto aos poetas, não há como deixar de lado Augusto de Campos e Décio Pignatari.

    Global. É isto. Mas para quem não conhece Cabral pode ser que sirva para alguma coisa ou ... acho que não serve... ou serve

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.