19/03/2010

Bom dia, querido diário

Hoje acordei cedo, por volta das seis horas da manhã, como de costume. O céu azul e limpo já anunciava o calor carioca, mesmo com as águas de março prestes a fechar o verão. Preparei-me para mais um dia intenso: aula até as treze horas da tarde e depois, ir direto para o trabalho.
Saí de casa e fui 'pegar o ônibus', embora ache essa expressão meio estranha. Em determinado local, pouco depois da metade do caminho, percebi que o trânsito estava parado. Nenhum veículo andava enquanto os minutos passavam livres. Após certo tempo, pedi ao motorista para abrir a porta, pois seguiria andando para não me atrasar muito mais.
A cidade tinha um aspecto meio caótico, mas isso não chega a surpreender. Quem vive por aqui, acaba se acostumando. Eu é que sou teimoso e insisto em reclamar e vivo acreditando que tudo pode ser melhor. Mania minha.
Ainda caminhando, ao passar pela estação de trens do Méier, noto algo que nunca tinha visto: a fila de passageiros estava saindo da passarela, descendo as escadas e chegando até a calçada, ao lado do Hospital Salgado Filho. Dentro da estação, muitos passageiros já se acumulavam esperando o trem. Tudo estava fora do normal (se dia já o foi).
Enfim, entro na faculdade com mais de meia hora de atraso, um tanto quanto suado, por assim dizer. Noto que muitos alunos e funcionários se encontram no hall de entrada. Uma penumbra em alguns lugares, enquanto outras salas estavam completamente escuras. Aquele aspecto caótico parecia me perseguir.
No laboratório de redação, apenas as luzes acesas. Todos os computadores e o ar condicionado estavam desligados. As pessoas pareciam inquietas com o calor, assim como eu. O professor tentou passar algum conteúdo, mas a falta dos PC's e a temperatura alta impediram-nos de prosseguir. Fomos dispensados poucos minutos depois.
Fui me informar se haveria outras aulas ou, pelo menos, saber exatamente o que estava acontecendo. "Problemas com energia elétrica em grande parte do prédio", foi o que ouvi. Algo parecido aconteceu dias atrás, na segunda-feira, mas naquele dia, a completa falta de eletricidade foi responsabilidade da Light. Hoje, saí da faculdade sem saber exatamente o que ocorria. Essas coisas acontecem, muitas vezes em série.
Resolvi voltar para casa, diante da indecisão. Ao passar pela estação do Méier, outra vez, percebo que a fila, que já era grande, aumentou ainda mais, assim como a temperatura desse dia ensolarado. Aproveito agora para colocar meus afazeres 'em dia' (sem ironias), pois tenho mesmo muitas tarefas em atraso. Logo mais, irei trabalhar. Até mais, querido diário.

Um comentário:

  1. Querido diário ficou fofo!
    O trânsito estava uma porcaria hoje!

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.