10/07/2010

Bruno, Macarrão, Bola, Mídia, Polícia e mais

Pode ser raro, mas acontece. Algumas vezes, um comunicador não sabe o que comunicar, pois tem a sua mente repleta de dúvidas. Esse é o infortúnio que inunda minha alma nesse momento: a dúvida. O recente caso de enorme repercussão no país, envolvendo o goleiro Bruno, dois homens conhecidos como Macarrão e Nenêm (ou Bola ou Paulista), um adolescente, uma criança que não tem um ano, uma mulher desaparecida, um clube de futebol carioca, a polícia e a mídia.

Minha primeira dúvida é sobre o tratamento midiático oferecido para Eliza Samudio. No início do caso, chamavam-na de "ex-namorada", mas agora é a "ex-amante". Ao mesmo tempo falam da esposa do goleiro, Dayane, mas já não falam mais da dentista carioca, aparentemente ainda namorada do goleiro, pelo menos até surgir notícia do desaparecimento. 

Minha segunda dúvida é sobre o exame promovido pelo Instituto de Criminalística do Rio de Janeiro. O material necessário (urina) foi colhido em outubro de 2009, quando Eliza deu queixa do goleiro por sequestro, agressão e tentativa de aborto forçado. O resultado só apareceu esta semana. Foram necessários quase nove meses por qual motivo? Caso Eliza não tivesse desaparecido ou sido assassinada, será que o resultado apareceria? Agora a polícia carioca disse que vai investigar essa demora, mas eu pergunto: essa investigação vai demorar quanto tempo? Ou agora que o contrato com o Flamengo foi suspenso, tudo vai mais rápido?

Minha terceira dúvida é sobre a abordagem jornalística. Lembra-se de Isabella Nardoni? Na época, a mídia toda explorava as dores causadas pelo homicídio, afinal, a relação entre uma mãe e uma filha é sagrada. Agora, para a mesma mídia, não parece que uma mãe foi morta, mas apenas uma ex-atriz pornô está sumida. E a criança? Terá traumas? Crescerá normalmente e em paz? Estas perguntas foram feitas no caso do menino Sean pela mídia.

Qual é o foco das reportagens exibidas pela mídia? O drama de uma mulher que, pelo que tudo leva crer, foi brutalmente assassinada por ter engravidado de um jogador do Flamengo? Ou seria o drama de uma criança, com meses de vida, que brutalmente tem sua mãe assassinada? Infelizmente, penso que não. Parece que o foco, o grande lamento popular, é o fato de um jogador do Flamengo ter jogado sua carreira no lixo. Como? Perdendo a cabeça e mandando matar uma ex-atriz pornô, com quem teve um caso. Caso que poderia ser resolvido com alguns poucos três ou quatro mil reais.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.