02/08/2010

CQC é condenado a indenizar atriz pornô por danos morais

A Justiça decidiu que a Band deve indenizar em R$ 102 mil a atriz pornô Pamela Butt. Ela participou de uma edição do programa CQC em 2009 e foi chamada de "prostituta" por Marcelo Tas e de "puta", por Rafinha Bastos. A Eyeworks – Cuatro Cabezas, produtora argentina responsável pelo CQC, também foi condenada a pagar R$ 51 mil.
Da bancada, Tas disse: “Eu vou convocar a presença de um padre e de uma prostituta. (...) Eu falei errado, vocês vão me desculpar. É um padre e uma atriz pornô”. E Rafinha Bastos ironizou: “A pessoa ganha dinheiro para filmar. Não, não é puta, imagina, imagina...”.
Na defesa, a Eyeworks declarou que, "moralmente falando, tanto prostitutas quanto atrizes pornôs obtêm seus proventos por meio do mercado do sexo", o que "justifica o equívoco". O juiz considerou a defesa de "uma desfaçatez enorme".
Pamela, que tem dois filhos, disse à Justiça que aceitou participar do quadro "Palavras Cruzadas" como atriz pornô, para responder às mesmas perguntas que um padre. A Band respondeu que "não foi intimada da decisão" e, por isso, não vai se manifestar.
Com informações da Folha de S. Paulo. Publicado no Comunique-se.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.