15/09/2010

“É preciso combater a cultura do gratuito”, defende presidente da Abril Mídia

Meus caros leitores: eu poderia dizer que é preciso combater a Abril e defender o gratuito, mas seria considerado um tanto leviano, talvez. De qualquer modo, faz mais de duas décadas que não compro nada da Abril por preferir o conteúdo gratuito. Fiquem com o texto de Izabela Vasconcelos sobre a frase do Jairo Mendes Leal, o cidadão na foto. Depois dessa postagem, sugiro outra leitura, o livro  Free: O futuro dos Preços, de Chris Anderson.

Conteúdo gratuito é um bom modelo de negócio? Para o presidente executivo da Abril Mídia, Jairo Mendes Leal, o modelo é insustentável para o mercado de revistas, tanto no impresso, como no digital. “É preciso combater a cultura do gratuito. Bom trabalho exige custo e qualidade tem preço. O gratuito não leva a nada, leva a dependência.”, afirmou Leal, em palestra do IV Fórum Aner, nesta terça-feira (14/9), em São Paulo.

De acordo com Leal, os novos leitores eletrônicos não justificam a redução extrema de preço ou gratuidade de conteúdo. O presidente da Abril Mídia acredita que as revistas que se arriscarem dessa forma, tendem a entrar no vermelho. 

“Não existe gratuito sem alguma dependência. A gente não pode dizer que o nosso negócio não tem preço. É difícil reunir bons editores, fotógrafos. Pra criar uma empresa de comunicação saudável nós precisamos cobrar. Os leitores entendem”, explicou.

No entanto, Leal vê as novas tecnologias como oportunidades de crescimento do setor e lista os benefícios. “A nossa audiência digital se assemelha a audiência da revista em papel. A internet é o canal que mais traz assinaturas”. E completa falando sobre os leitores digitais: “O iPad é uma oportunidade para o meio revista. Mas o desafio é encontrar talentos, profissionais, compatíveis com as novas mídias”.

(Publicado no Portal Comunique-se)

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.