07/09/2010

HÁ 188 ANOS: 7 de setembro, um factóide

A independência do Brasil foi proclamada no dia 7 de setembro, há 188 anos, às margens do Ipiranga, com um brado retumbante – certo ou errado? Errado. Erradíssimo. Quem garante? Os jornais da época, claro.

 

Quando o Brasil separou-se de Portugal havia cinco jornais em circulação – o precursor da imprensa livre, o Correio Braziliense, o chapa-branca Gazeta do Rio de Janeiro, o Revérbero Fluminense, a Idade do Ouro do Brasil da Bahia e O Espelho. Nenhum deles fala no épico episódio protagonizado por D. Pedro nas redondezas de São Paulo às margens de um riacho.

Todos os cinco periódicos eram a favor da emancipação, estavam por dentro do assunto, reproduziram os documentos e a azeda troca de cartas entre o rei D. João VI e o seu filho príncipe-regente, em agosto. Mas em matéria de datas os cinco estão mais preocupados com o 12 de outubro – quando D. Pedro seria proclamado pelo povo e assim legitimado como Imperador do Brasil.

O Sete de Setembro foi uma construção política posterior, bem posterior, e não um fato político. Para usar o jargão moderno: o Sete de Setembro foi um factóide, muito bem construído para facilitar a repercussão externa – mas um factóide.

História e jornalismo
Então nossos professores de história estavam enganados ou nos enganaram? Não propriamente. O que aconteceu foi uma desatenção da historiografia brasileira pelo jornalismo brasileiro. E esta desatenção foi em parte causada pelos preconceitos contra os principais jornalistas da época, majoritariamente maçons.

Este desencontro entre o fato e a construção do fato torna-se ainda mais significativo quando lembramos que há dois anos, em 2008, quando deveríamos lembrar os 200 anos da criação da imprensa brasileira, nossa mídia embargou a data e passou uma esponja no passado. Agora, quando identificamos alguns desajustes entre os livros de história e as coleções de periódicos, evidencia-se o crime que a nossa imprensa cometeu contra a sua própria imagem.

Quer mais detalhes? Assista amanhã, terça, dia 7 de setembro, ao especial do Observatório da Imprensa na TV sobre mídia e independência. Na TV Brasil, em rede nacional, às 22h. Em São Paulo, pelo Canal 4 da Net e 181 da TVA.

(Publicado no OI e escrito por Alberto Dines)

2 comentários:

  1. A história pode até estar errada mas 188 anos depois, o assunto vir a tona, acho que demorou demais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade este artigo foi publicado em 2010, quando fazia 188 anos de um erro histórico. Na verdade, a história não veio à tona somente em 2010, mas foi retomada neste ano, porque já havia sido abordada anteriormente. Obrigado pela visita e pelo comentário.

      Excluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.