07/02/2011

JORNALISMO POLÍTICO - A receita da reportagem

Por Luciano Martins Costa em 7/2/2011

Viciados na linguagem agressiva dos confrontos, os jornais brasileiros de circulação nacional demonstram alguma dificuldade para lidar com os fatos produzidos pelo atual governo. Sem as frases controversas do ex-presidente Lula da Silva, o jornalismo político parece carente de munição para seu noticiário alimentado por declarações.

O desconforto é evidente em artigos, editoriais e reportagens, como se a imprensa estivesse avaliando que posição tomar na ausência de seu velho desafeto.

A reportagem principal da edição de domingo (6/2) de O Globo reflete essa tentativa de entender a nova presidente da República. "Atos de Dilma afastam governo do estilo Lula", diz a manchete do jornal carioca.

Outros diários, como a Folha e o Estado de S.Paulo, já haviam analisado o temperamento mais discreto da presidente Dilma Rousseff, mas o Globo faz a primeira declaração explícita de que há um novo relacionamento em curso entre a imprensa e o Executivo federal.

Frases ruidosas

O Globo parece impressionado pelo fato de que uma mulher na Presidência da República venha a estabelecer um estilo completamente diferente do de seu antecessor. O jornal se surpreende porque a presidente "demonstra ter rumo próprio", como se os editores tivessem assumido como verdadeiras afirmações feitas pela oposição durante a campanha, de que o ex-presidente Lula da Silva estava impondo uma sucessora sem experiência eleitoral como forma de se manter no poder indiretamente.

O jornalismo político brasileiro é feito, há muito tempo, com uma receita básica: apanha-se – ou se provoca – uma declaração do governo ou da oposição, tempera-se com uma pitada de comentários por meio de editoriais ou artigos, cozinha-se esse conteúdo na fervura de Brasília e serve-se a polêmica reforçada com novas declarações.

O hábito do ex-presidente Lula de produzir frases ruidosas alimentava essa pauta única.

Sem a fartura de declarações, a imprensa terá que reaprender a fazer reportagem política.

2 comentários:

  1. Estive pensando a mesma coisa que você: o jornalismo político no Brasil vai precisar se reinventar, uma vez que Dilma não se presta ao debate inútil. Vamos ver!

    ResponderExcluir
  2. Será muito bom mesmo quando o jornalismo deixar de se dedicar ao estilo jocoso e pseudo-crítico, para realmente começar a construir uma análise e muitos debates. Sendo assim, só por isso já valeu a pena essa República Matriarcal.

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.