25/03/2011

Miguel Nicolelis faz convocação no Twitter para a Copa de 2014

O tweet acima foi o primeiro de uma série (histórica) que o neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, eleito um dos 20 cientistas mais importantes do mundo pela revista Scientific American, o número 1 em neurobiologia e cotado para o Prêmio Nobel, postou hoje de manhã no Twitter.

A sequência foi esta (não copiei todos, mas a maioria – o perfil dele é este):

Fazer um adolescente quadriplégico brasileiro andar novamente pela força do seu pensamento que vai controlar uma veste robotica de corpo td!

Adolescente entraria em campo, andando por si mesmo, com a seleção brasileira, vestido em verde e amarelo, e daria o pontapé inicial da Copa

para delirio de todo um pais que conquistou o direito de se transformar na esperança da humanidade!

Não mais o Brasil da violência urbana, da corrupção e dos políticos sem compromisso com o povo,

mas um Brasil que vai mostrar ao mundo que tem mais que futebol e samba: uma nação que optou em usar

a ciência e a tecnologia como agentes de transformação social e felicidade de seu povo!

Esse vai ser, se o governo brasileiro quiser e deixar, o MOONSHOT TROPICAL! Conquistar o impossível na frente de todo o mundo, como um dia

Santos Dumont fez para milhares de parisienses atonitos! Mais de um século dos voos históricos de Dumont que mudaram o destino da humanidade

o Brasil vai poder assombrar o mundo todo com o seu pensamento! JUST BY THINKING!

@arstorch Essa tecnologia pertence a humanidade meu caro! NO PATENTS ALLOWED, como Santos Dumont

@Kelisson Falta só ousar..nada mais..e gente perder o complexo de inferioridade e e medo de ser cachorro grande!

Para realizar o WALK AGAIN PROJECT, eu volto de vez pro Brasil.

@sulains Sem utopia ñ existe nem ser humano, nem nação. Ñ me motivo pelo ufanismo. Realizar o impossível motiva o suficiente.

Que tal usarmos Crowdsourcing, via a Teia do Twitter para realizarmos, juntos, o WALK AGAIN PROJECT? Que tal mostramos ao mundo que

milhões de cidadãos brasileiros comuns podem se organizar pela Teia para transformar o sonho de fazer alguém andar novamente em realidade?

Que tal criarmos um novo model de fazer ciência, mais parecido com o esforço comunitário das escolas de samba, do que as universidades?

Que tal fazer ciência para assombrar o mundo junto com o povo brasileiro? Vamos inovar em todos os domínios durante execução ANDAR DE NOVO!

Moonshot brasileiro! Tá mais do que na hora moçada! Bora mostrar pro mundo que brava gente brasileira é capaz de qualquer coisa qndo quer!

Observação: A cabeça e a coragem de Nicolelis é tudo de que precisamos para um novo projeto de país. Não é? Depois do jump incluo mais informações sobre Nicolelis e o projeto WALK AGAIN.

Sobre o projeto global Walk Again, posso dizer que une pesquisadores de nove instituições do mundo para construir uma espécie de exoesqueleto para humanos, nos moldes daquele dos besouros, um “terno” robótico ligado à mente. Assim seria possível trazer movimentos de volta às pernas e aos braços de pessoas paralisadas, que controlariam a estrutura com pensamentos. A ‘neuroprótese’ deve captar os sinais da mente e transmiti-los para um membro artificial em 200 milissegundos (o mesmo tempo em que um braço biológico responde aos impulsos). Isso faz o cérebro entender a prótese como parte do seu corpo.

Nicolelis, além de feríssima incontestável em ciência e inovador (ele, sim, pensa fora da caixa), é ambicioso e bom de política. Tudo de que o Brasil e o mundo precisam. Para quem não conhece direito Nicolelis, copiei esse texto do site GloboUniversidade.

As metas que norteiam este médico paulistano de 48 anos, formado na Universidade de São Paulo (USP), que se tornou chefe de um dos mais importantes laboratórios de neuroengenharia do mundo, impressionam pela grandeza. Nicolelis busca uma nova compreensão do cérebro capaz de mudar a ideia que o homem faz de si mesmo e, ao mesmo tempo, propiciar avanços que beneficiem pessoas que sofrem de paralisia e de doenças como Alzheimer e esquizofrenia. Está decido a fomentar o desenvolvimento de regiões e populações pobres por meio da criação de polos de produção científica e de um modelo de educação que revolucione a formação básica de milhões de estudantes.

O segundo desafio ao apresentar Miguel Nicolelis é ser sucinto quanto a suas credenciais e conquistas. Autor de diversos trabalhos publicados nas mais prestigiadas revistas científicas do mundo – inclusive o artigo de capa de uma recente edição da Science, sobre um novo e promissor tratamento para o Mal de Parkinson –, ele já fixou vários marcos na história das ciências do cérebro.

Entre seus maiores feitos, destacam-se avanços na interface cérebro/máquina. Numa experiência feita em janeiro, por exemplo, o caminhar de um macaco, que andava sobre uma esteira rolante no laboratório de Nicolelis, na Universidade de Duke, nos Estados Unidos, foi reproduzido, quase em tempo real, por um robô situado no Japão, graças à decodificação e transmissão das ordens de movimento geradas no cérebro do primata.

Nicolelis tem sido apontado como um dos maiores cientistas da atualidade e candidato ao Prêmio Nobel. Mas ele não se contenta com o que pode realizar como pesquisador e se dedica, no Brasil, a dirigir um projeto pelo menos tão ousado quanto seus trabalhos científicos: o Instituto Internacional de Neurociências de Natal, que acaba de estrear na elite da neurociência mundial ao participar do estudo sobre Parkinson divulgado na Science.

(Publicado no HSM Blog)

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.