05/06/2011

Escritores que ABL preteriu em favor de mervais

A Academia Brasileira de Letras (ABL) acaba de eleger Merval Pereira para a cadeira número 31 da instituição, em substituição ao escritor Moacyr Scliar, falecido em 27 de fevereiro.

Merval escreveu dois livros em sua caudalosa carreira literária. Um deles no ano passado, esculhambando Lula.

Abaixo, a lista de alguns dos literatos que a ABL, ao longo de sua história conservadora, preteriu em favor de “imortais” da estirpe de um ex-presidente José Sarney ou de um cirurgião plástico como Ivo Pitanguy ou, agora, de um Merval Pereira:

Carlos Drummond de Andrade

Cecília Meireles

Clarice Lispector

Erico Veríssimo

Lima Barreto

Mário Quintana

Monteiro Lobato

Vinicius de Moraes

Também não participaram da Academia os escritores Jorge de Lima e Gerardo Melo Mourão, indicados ao Prêmio Nobel de Literatura.

A boa relação da ABL com a ditadura militar é vista até hoje como relativa ao pedágio ideológico que vige na instituição.

Posições políticas, compadrios, high-society, interesses econômicos… Um livro explica a influência desses fatores na ABL: Academia Do Fardão e Da Confusão (Geração Editorial), do escritor Jorge Fernando.

A ABL “imortalizou” oligarcas endinheirados, playboys e, agora, os idiotas. Pensando bem, faz sentido.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.