11/08/2011

Facebook é o novo Big Brother de Orwell

Facebook censurou recentemente a capa do álbum 'Nevermind' do Nirvana
Semana passada estava conversando com a prima de minha mulher pelo Facebook. Começou assim: ela fez uma postagem em seu mural e logo em seguida fiz um comentário. Um respondendo ao outro, criamos um diálogo através de comentários no mural.

Certo momento, escrevi algo qualquer com duas palavras mostrando meu cansaço em relação ao assunto: "puta saco". O Facebook mostrou-me um aviso que dizia algo como você não deve escrever isso ou coisa parecida. Sinceramente, não entendi o que a mensagem dizia e voltei a escrever a mesma mensagem, mas desta vez, usei o português correto: "prostituta saco".

Para minha surpresa, a mensagem apareceu e em seguida, o Facebook apagou não somente a mensagem que eu estava escrevendo, mas todo o diálogo que, por sua vez, não pode mais ser recuperado. Inclusive, a mensagem original, da prima de minha mulher: tudo foi deletado. Lembrei-me desta história, talvez sem muita importância, ao ler um ótimo artigo de  Iroel Sánchez, publicado em  La pupila insomne, reproduzido no blog do Miro e aqui também, logo abaixo:

 Facebook dá cadeia em Londres, não em Cuba

 O portal elmundo.es informa que entre os mais de 500 presos, desde o começo da violência no bairro londrino Tottenham, há uma criança de apenas 11 anos de idade e que quatro adolescentes também foram detidos por estimular as revoltas através do Facebook.

O sítio espanhol cita que "a polícia de Strathclyde, em Glasgow (Escócia), deteve um jovem de 16 anos de idade por enviar uma mensagem do Facebook em que supostamente incitava a cometer atos de desordem, informa a BBC. A polícia assegurou que vai vigiar de perto as redes sociais e que adotará o que denomina ‘ação decisiva’ para prevenir a violência na área de Strathclyde por parte dos seguidores".

"Está previsto que o responsável em promover o ‘Let’s start a riot in Glasgow’ [Vamos começar um tumulto em Glasgow], que não está mais disponível na mencionada rede social, compareça a um tribunal neste dia 10".

"Em Folkestone, no condado de Kent, onde está a famosa Universidade de Canterbury, dois jovens de 18 anos foram detidos por difundir mensagens qualificadas de incendiárias através do Facebook. Uma adolescente de 16 anos também está sendo interrogada em Glasgow pelo mesmo motivo, segundo a BBC".

"Por último, a polícia de Essex prendeu um jovem de 17 anos por incentivar outras pessoas através do Facebook a reunir-se no condado e participar das revoltas".

Pergunto-me se a polícia espanhola prenderá os que incitaram, através do Facebook, um "levante popular em Cuba" [*], em fevereiro passado, e que foi um fracasso. Podem começar pelo correspondente na Espanha da "Rádio Martí", emissora oficial do governo dos Estados Unidos contra Cuba. Ele se chama Joan Antoni Guerrero [**], vive na Catalunha e está longe de ser um adolescente.


* "Levante" convocado para o dia 21 de fevereiro, no Parque 13 de Marzo, em frente ao Museu da Revolução em Havana, com o apoio da CNN. A apresentadora Claudia Palacios não conseguiu esconder a frustração: "Será que não prepararam com tempo suficiente?". Apenas um manifestante compareceu.

** Além de trabalhar na Rádio Martí, ele tem o blog Punt de Vista sobre assuntos cubanos (http://joanantoniguerrero.blogspot.com).

* Tradução de Sandra Luiz Alves.


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

2 comentários:

  1. caraio, tamu fu...ooops, puxa vida, em que enrascada nos encontramos!

    ResponderExcluir
  2. Seu comentário é duca.... ops, desculpe Facebook... é muito bom.

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.