30/01/2012

As rapidinhas do Sr Comunica - 30/01/2012


1 - Em 2011, as salas de cinema em todo o Brasil arrecadaram R$ 141,7 milhões - 5% a mais que em 2010. Porém, nenhum dos 98 filmes brasileiros estava entre os 10 mais assistidos. Em parte, devemos agradecer à Rede Globo de televisão, que anualmente transmite apenas 5% de filmes nacionais em sua grade de programação. O restante, 95%, é dedicado para filmes norte-americanos, que fazem a festa nas salas de cinema do Brasil.

2 - O filme brasileiro mais assistido em 2011 foi Cilada.com, um filme de humor que recebeu um pequeno empurrãozinho da Globo Filmes, Globo estações de rádio, Globo televisões, Globo na internet e Globo revistas e jornais impressos (oligopólio das comunicações).

3 - A cadeira do pai, filme de Luciano Moura tendo Wagner Moura como protagonista, foi o único título nacional a ser indicado a participar do Sundance Festival. Filmado também no Polo Cinematográfico de Paulínia, o filme, embora não tenha sido premiado, teve boa participação no Sundance em seis sessões do evento.

4 - Publicado no Cinema com Rapadura - Foram anunciados na noite de sábado (28), os filmes premiados na 15ª Mostra de Cinema de Tiradentes. O Júri Jovem e o Júri da Crítica escolheram cada um seu Melhor Filme entre os longas apresentadas dentro da Mostra Aurora, seção dedicada a diretores em início de filmografia. Clique e leia mais.

5 - Publicado na FSP - Uma a cada cinco pessoas assassinadas na cidade de São Paulo em 2011 foi morta por um policial militar, estivesse ele em serviço ou não. (Isso não é filme, é vida real).

6 - Publicado na FSP - São Paulo está ficando menos violento a cada ano desde 2000. Foram 11 anos de queda contínua no número de homicídios. O número de mortos pela polícia não acompanhou essa tendência e teve uma variação média anual próxima de zero. Isso significa que no Estado de São Paulo a cada ano são mortas entre 400 e 500 pessoas pelas duas polícias. Proporcionalmente, o crime mata menos e a polícia mais.  (Isso não é filme, é vida real).


7 - Parece que durante os governos Alckmin/Kassab, mais de 100 favelas foram incendiadas em São Paulo. Estranho, não? Uma delas foi a Comunidade do Moinho, para a qual segue abaixo o documentário independente Moinho Vivo. Não será visto em nenhuma sala de cinema, nem depois da novela da Globo, mas é essencial que seja visto por todos, assim como as aberrações praticadas em Pinheirinho.



#MoinhoVivo: O que a imprensa não disse - Parte I from Passa Palavra on Vimeo.


#MoinhoVivo: O que a imprensa não disse - Parte 2 from Passa Palavra on Vimeo.



0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.