15/01/2012

Os passarinhos e o cúmulo da confiança


Escrito por Diego Pignones

Andei pensando em escrever fábulas, estilo Jean de La Fontaine (autor de a raposa e as uvas).

Então, vamos lá!

O partido dos passarinhos elegeu um presidente para a República dos Canarinhos. A Coruja Sabe-Tudo governou a república por oito anos. Sem dar ponto sem nó, a Coruja, colocou a Águia Careca Paulistana pra cuidar da saúde dos Canarinhos.

A Águia Careca Paulistana ficou poderosa. Foi alçada a liderança do partido e ganhou força. Até tentou ser candidata a presidência da república, mas perdeu para o Macuco de Caetés.


O Macuco era uma ave operária. E conseguiu formar um governo baseado em um contrato social.

A invejosa Águia tentou derrubá-lo junto com os observadores, mas não conseguiu.

A Águia Careca Paulistana foi, aos poucos, perdendo apoio e credibilidade. O astuto Azulão Mineiro percebendo isso quis chegar à liderança do Partido dos Passarinhos.

Só que o Azulão Mineiro e a Águia Careca Paulistana estão brigando, mas nenhum observador reportou a disputa entre os pássaros. Nem mesmo aquele programa de sexta-feira que só fala de saúde, emagrecimento, programas chupados do Discovery e animais.

A briga é antiga.

Os dois passarinhos não se dão bem. E, talvez, nunca se deram.

Porém, o azulão mineiro é um pouco instável. É tipo a Amy Winehouse das aves, tem bom apelo, mas quando enfia o pé na jaca... sifu.

Até a velha Coruja Sabe-Tudo (a princesa dos observadores) que estava em cima do muro se decidiu. Tangenciou, mas se decidiu.

Entre a Águia Careca e o Azulão, a Coruja escolheu o Tucano do Caldeirão.

Mas e o Macuco?

O Macuco foi um grande estadista. O que diferencia o grande estadista e um pseudo-estadista?

A grande diferença entre um estadista e um pseudo-estadista é que o estadista é capaz de montar um contrato social e formar um governo de coalizão. Enquanto o pseudo-estadista varre seus dejetos para baixo do tapete e baseia-se na política da confiança. Não me bate, que não te bato.

Se na esfera partidária está assim, o que a Águia e Azulão fariam no governo do país?

Um livro de ornitologia (que vende muito e os observadores de passarinhos não falam) mostra que a Coruja Sabe-Tudo e a Águia Careca mudaram seu comportamento.

Venderam o ninho, o galho, a árvore, as folhas, as frutas, as flores, a mata, a mãe e tudo mais que a vista alcança.

A Coruja Sabe-Tudo, a Águia Careca Paulistana e o Azulão Mineiro estão costurando um novo pacto de confiança...

Só que no caso dos passarinhos, o pacto de confiança é o cúmulo da confiança.

O cúmulo da confiança são dois canibais fazendo um 69.

Vai dar merda!

Portanto, esperemos pelo grito.

Anotação na Margem:

- Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência (será?);

- Texto escrito ao som de Garotos Podres.

Diego Pignones
Publicitário e pesquisador em Comunicação Social.
Twitter: @diegopignones


Um comentário:

  1. pois é Diego concordo com tudo que foi descrito na Republica dos Canarinhos...e o livro de Ornitologia vai loooooooooooooonge....Porém, te pergunto(e pergunto a mim mesmo): se o confronto era entre o Macuco(sangue bom) e a Águia Careca, quer dizer, entre ovíparos porque os "3 Porquinhos(G,D e S)" tinham que atrapalhar o Macuco?

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.