Brasil bloqueia proposta da ONU, em favor da segurança de jornalistas, frustrando associações jornalísticas

Por  Summer Harlow Jornalistas brasileiros e organizações internacionais de jornalismo estão alarmados com a decisão do Brasil, juntamen...

Por Summer Harlow

Jornalistas brasileiros e organizações internacionais de jornalismo estão alarmados com a decisão do Brasil, juntamente com Cuba, Venezuela, Índia e Paquistão, de bloquear uma proposta das Nações Unidas que promoveria a segurança de jornalistas e ajudaria a frear a impunidade em crimes contra a categoria, informou o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ).

Durante a 28 ª sessão da bienal da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) realizada no fim de março em Paris, o Brasil, parte doConselho do Programa Internacional para o Desenvolvimento da Comunicação (IPDC, na sigla em inglês), se recusou a apoiar o rascunho do Plano de Ação da ONU sobre a Segurança dos Jornalistas e o Problema da Impunidade.
"Pelo menos 900 jornalistas foram mortos em serviço nas duas últimas décadas. Mais de 600 deles foram assassinados, e a maioria dos casos permanece sem solução", disse o Diretor de Defesa e Comunicações do CPJ, Guillén Gypsy Kaiser, em um comunicado. "Estamos consternados com o fato de que esta oportunidade histórica para a comunidade internacional tomar medidas concretas tenha sido frustrada."

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, o Brasil é a favor do plano de ação, mas teve restrições quanto a alguns trechos do texto. Em nota, o Ministério das Relações Exteriores afirmou que "não se pode discutir a violência contra jornalistas no Brasil sem ter em mente (...) que a grande maioria dos casos verificados no Brasil não guarda relação direta com o exercício da atividade". Trata-se de informação que, segunda a Folha, está errada.

Havia a expectativa de que o plano para a segurança dos jornalistas, em andamento há dois anos,recebesse um impulso formal na reunião, de acordo com o Colégio de Jornalismo da BBC. O plano inclui medidas como:
reforçar a autoridade dos relatores especiais sobre Liberdade de Expressão,
incentivar a ampliação do âmbito da Resolução do Conselho de Segurança da ONU 1738 (que condena os ataques contra jornalistas em áreas de conflito) para incluir a proteção de jornalistas em áreas sem conflito,
ajudar países-membros a aprovar leis para julgar suspeitos de assassinatos de jornalistas,
desenvolver um guia descrevendo respostas de emergência e as disposições de segurança para jornalistas no campo, e
estabelecer um mecanismo interagências das Nações Unidas para avaliar a segurança dos jornalistas.

Com o registro do CPJ de 909 jornalistas mortos em todo o mundo desde 1992 e de impunidade em 90% dos crimes, a organização estava esperançosa de ver o plano aprovado, pois isso significaria "que a ONU e os Estados-Membros chegaram a um acordo a respeito do significado da liberdade de imprensa por seu trabalho em diversas áreas ", disse Guillén Kaiser ao Centro Knight para o Jornalismo nas Américas.

Brasil, Índia e Paquistão são países com alguns dos piores índices de impunidade e violência contra jornalistas. Por exemplo, ao menos 21 jornalistas foram mortos em razão de seu trabalho no Brasil desde 1992, de acordo com o CPJ, outros oito casos estão sob investigação por possíveis ligações com a atuação jornalística. Só neste ano, o Centro Knight para o Jornalismo nas Américas relatou a morte de cinco jornalistas brasileiros -- Laércio de Souza, Mario Randolfo Marques Lopes, Paulo Roberto Cardoso Rodrigues, Onei de Moura e Divino Aparecido Carvalho -- embora, com as investigações ainda em curso, nem todos possam estar necessariamente ligados a suas iniciativas jornalísticas.

Marcelo Moreira, presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (ABRAJI) e diretor doescritório latino-americano do International News Safety Institute (INSI) no Brasil, observou que o Brasil é um dos países mais perigosos para exercer o jornalismo na América Latina. "Para garantir um mínimo de segurança, as redações são obrigadas a investir em planejamento, programas de treinamento e equipamentos de segurança", afirmou. "Mas essa cultura não está disseminada em todas as redações. E é nisso que se precisa investir. Na ampliação desta cultura de segurança". Para exemplificar, ele citou programas de segurança no Rio de Janeiro -- uma área particularmente exposta ao risco por causa de confrontos entre polícia e gangues nas favelas -- e em São Paulo, mas a maioria dos países carece de tais programas.

Moreira disse que, segundo o que ele sabe, o Brasil bloqueou o plano por falta de informação e discussão, e não por má fé. "Mas o fato é que essa decisão foi negativa porque impede a criação de projetos que possam investir em programas anti-violência contra jornalistas no Brasil. Não sei sobre outras associações, mas o INSI Brasil, que represento, e a Abraji, uma associação ligada a esta causa, não foram consultadas", afirmou Moreira ao Centro Knight.

"As respostas do Brasil e de outros países do IPDC que não endossaram o plano de ação significam, em termos práticos, que o plano, que já está há dois anos sendo trabalhado, vai enfrentar agora grandes atrasos para avançar, e o processo será repleto de debate. Dada a urgência da situação, isso é profundamente preocupante ", disse Elisabeth Witchel, consultora do CPJ que participou da reunião da ONU, ao Centro Knight.

Especulando sobre o porquê do Brasil não ter endossado o plano, Guillén Kaiser sugeriu que "é provável que o crescimento econômico e a influência política do país ainda não tenham achado seu lugar. Nesse sentido, tal cenário não está servindo à liberdade de imprensa. Autoridades brasileiras foram condenadas em vários casos de assassinatos de jornalistas nos últimos anos, mas o país ainda parece persistir na violência contra a imprensa."

Guillén Kaiser também apontou que a decisão do Brasil é ainda mais desconcertante considerando que o país, juntamente com os Estados Unidos, é co-líder da Parceria Governo Aberto, que defende a transparência em todo o mundo. "O governo entende claramente o valor da informação nas sociedades e tem trabalhado no sentido de integração de tecnologia para a responsabilidade pública. O papel de fiscal dos jornalistas é uma parte crucial dessa estrutura, mas este papel é prejudicado se os jornalistas estão sendo mortos por suas reportagens. É um enigma a razão pela qual o Brasil apoiaria os sistemas de prestação de contas públicas e assumiria uma posição na UNESCO que contraria as próprias alavancas da abertura", disse Guillén Kaiser.

Moreira ressaltou que acredita que o plano não está morto, mas apenas adiado. "O que se precisamos é esclarecer junto às autoridades brasileiras a importância de ele ser implementado. É mais uma ferramenta importante na implementação da cultura de segurança. Os jornalistas brasileiros tem que estar unidos nesta missão e assim este plano ainda poderá ser aprovado".


Follow Me on Pinterest

COMMENTS

BLOGGER
Nome

Anna Poulain,5,Apoemático,19,APPs,15,Arte,5,Arte Digital,17,Artigos próprios,105,Artigos reproduzidos,286,Biografias,1,Cinema,8,Citações,20,coluna S I T T A,5,Consumidor,24,Contos,14,Crônicas,7,Cultura,14,Dados estatísticos,17,Depressão Comunica,7,Diálogos,1,Diego Pignones,42,Digital,1,Documentários,120,Educar,23,Ensaios,14,Entrevistas,40,featured,4,Fotografia,42,Games,3,HQ,16,In Memoriam,2,Informe,1,Jornais,25,Jornalismo Literário,7,Língua Inglesa,1,Língua Portuguesa,25,Literatura,31,Machismo,17,Memórias de minha janela,10,Mídia,1299,Música,81,nota,9,Nota.,223,Notificando,3,Outros Blogs,2,Pablo Pascual García,1,Pensamento e Comunicação,57,Pensamentos tupiniquins,196,Pintura,16,Poesia,39,Política Carioca,135,Política Internacional,335,Política Nacional,1003,Q tem pra V,45,Rádio/TV,27,Rapidinhas do Sr Comunica,29,Saúde,18,Teatro,20,Tetraplégicos Unidos,10,Tirinhas,4,Tupi Guarani Nheengatu,8,Viagem,10,Vídeos,39,Web,45,
ltr
item
COMUNICA TUDO: Brasil bloqueia proposta da ONU, em favor da segurança de jornalistas, frustrando associações jornalísticas
Brasil bloqueia proposta da ONU, em favor da segurança de jornalistas, frustrando associações jornalísticas
http://4.bp.blogspot.com/-QIWkQFdMiAQ/T3o-WSOMw8I/AAAAAAAADPE/aZLLjFOm9Rk/s200/Capturar.JPG
http://4.bp.blogspot.com/-QIWkQFdMiAQ/T3o-WSOMw8I/AAAAAAAADPE/aZLLjFOm9Rk/s72-c/Capturar.JPG
COMUNICA TUDO
http://www.marcelodamico.com/2012/04/brasil-bloqueia-proposta-da-onu-em.html
http://www.marcelodamico.com/
http://www.marcelodamico.com/
http://www.marcelodamico.com/2012/04/brasil-bloqueia-proposta-da-onu-em.html
true
4187826622770269860
UTF-8
Loaded All Posts Not found any posts VIEW ALL Readmore Reply Cancel reply Delete By Home PAGES POSTS View All RECOMMENDED FOR YOU LABEL ARCHIVE SEARCH ALL POSTS Not found any post match with your request Back Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Follow THIS CONTENT IS PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy