17/07/2012

Candidato, ex-chefe da Rota, incita violência



Em campanha, o ex-comandante da Rota e candidato a vereador pelo PSDB em São Paulo, Adriano Lopes Lucinda Telhada, vem usando sua página no Facebook para fazer apologia à violência policial nas periferias da capital. Como resultado, seus seguidores têm deixado comentários do tipo: “bandido tem que ir pra cova” ou então “vamos arrancar o pescoço desses vagabundos”. Uma das “pérolas” de Telhada diz sem rodeios: “que chore a mãe do bandido, porque hoje o bote é certo”.


No dia 22 de junho, o ex-comandante publicou inclusive uma foto de dois jovens negros – post que já conta com 985 compartilhamentos – dizendo que se tratavam de “suspeitos” que teriam atacado uma base da polícia militar na Zona Leste da capital. “Eles também podem estar envolvidos na morte do soldado dentro de uma academia. Por favor, compartilhem esse status”, conclamou Telhada a seus seguidores.


Sem ter provas dos “suspeitos”, outro policial ligado à Rota fez o seguinte comentário: “Tem gente que fala que ladrão não tem cara. Ladrão tem cara sim e em geral tem estilo funkeiro, quem duvida?” Outra pessoa questiona: “Eu só quero saber qual prova que levou a essa acusação sumária?” Telhada responde: “Você acha que um PM da Rota vai postar alguma mentira? E logo em seguida apela, “esses meliantes acham que mandam. Tá na hora de por o fuzil pra cantar, eu tô muito indignado!” – comentário que já recebeu 22 “curtir”.


Para Rodolfo Valente, militante do movimento social Rede Dois de Outubro, Telhada publica tais frases para angariar votos das camadas mais reacionárias da sociedade. Segundo Valente, esses comentários só fazem reforçar a política de extermínio que o PSDB delibera.

“Ele é candidato pelo partido do governador, um comandante da Rota que é capitaneado pelo governador, então isso deixa mais do que claro a política de extermínio que eles operam nas periferias”, ressalta.



Ameaça

Após escrever uma matéria sob o título “Ex-chefe da Rota vira político e prega a violência no Facebook”, publicada no sábado (14) pelo jornal Folha de S.Paulo, o jornalista André Caramante passou a receber inúmeras ameaças dos seguidores de Telhada.


Em uma delas, um “fã” do policial escreve que “quem defende bandido é bandido também! Bala nesses safados!”. Um outro diz: “É isso aí Telhada, vamos combater esses vagabundos”.


Um policial da Rota chamado Paulo Sérgio Ivasava Guimarães foi mais contundente. “Esse Caramante é mais um vagabundo. Coronel, de olho nele.”


Por sua vez, Telhada publicou um texto para se “defender” das acusações do jornalista. Em um dos trechos ele escreve: “Um indivíduo chamado André Caramante, notório defensor de bandidos, publicou uma matéria diretamente usando meu nome [...] qual será o interesse desse cidadão em defender bandidos? O que será que tem a ganhar com isso?”.


Para Rodolfo Valente, os policias da Rota não aceitam ser contestados de forma alguma, pois eles vêm da cultura da ditadura militar.


“Se você verificar bem o discurso dele, é muito semelhante ao discurso que o Maluf sempre entoou para se candidatar e ganhar eleições. O tal do “Rota na rua” é muito similar, é muito próximo ao do Maluf”, lembra Valente.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.