08/10/2012

As rapidinhas do Sr Comunica - urnas e urnas


Na Venezuela, país que a mídia brasileira costuma chamar de ditadura, os votos nas urnas eletrônicas são impressos e depositados, para garantir a total lisura das eleições. No Brasil, o país da festa da democracia, houve um projeto de lei que tentou implantar algo semelhante em solo tupiniquim. Não foi pra frente, não virou lei, não quiseram voto impresso, nem lisura em terreno democrático.


Ainda na Venezuela, aquele país que nossa mídia costuma chamar de ditadura, o voto não é obrigatório como aqui, na festa da democracia brasileira. O comparecimento dos eleitores, no país comandado por Hugo Chavez, foi de 80,79% da população, com um índice ínfimo de 1,89% de votos nulos.

Aqui em nosso 'Brasilzão', país democrático ao extremo, o voto é obrigatório. Na cidade do Rio de Janeiro, as abstenções foram de 20,45%. Porém, votos nulos foram 8,94% e brancos 8,12%. Somando-se as abstenções, nulos e brancos na capital carioca temos o resultado módico de 37,51% da população que não quis ou não teve como participar ou opinar na festa da democracia.

Números muito superiores aos da 'ditadura venezuelana', segundo costuma dizer nossa mídia. Por tudo isso, talvez esteja na hora de repensarmos nossa democracia. Mais de um terço da capital fluminense não opinou nesta eleição municipal, ou seja, um em cada três habitantes cariocas.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.