06/11/2012

Veja e Ibope flagrados: os talibãs da desinformação

Para Pereio, Veja é o PCC da comunicação, a Talibã da imprensa.  Revista incitou jovens candidatos do Enem para desrespeitarem edital, resultado: dezenas foram desclassificados por atenderem ao pedido da publicação da Abril [clique na imagem para ampliar]
Segundo publicação do portal Brasil 247, a revista Veja aprontou mais uma de suas canalhices: teria incitado participantes do Enem a fotografarem as provas e enviarem pelo Instagram para publicação em seu site, com a seguinte chamada: "Compartilhe fotos do Enem no Instagram: #VEJAnoEnem . As melhores serão exibidas em VEJA goo.gl/e2wq1 ".


Esta convocação ao desrespeito das normas estabelecidas no edital do concurso foi feito no twitter institucional da revista e demonstra, mais uma vez, o tipo de jornalismo que esta publicação se dispõe a fazer.

Resultado: dezenas de participantes foram desclassificados por atenderem ao pedido criminoso da Veja.
Paulo César Pereio em seu twitter foi feliz ao classificar o ato do grupo Abril como delinquência, segundo suas próprias palavras: "Veja partiu para a delinqüência. Inventa matéria contra Lula, frauda prova do Enem... É a talibã da imprensa, o PCC da comunicação."
Prejudicou a terceiros, com o intuito delituoso de criar um fato que prejudicasse o MEC e desmoralizasse o exame.
Veja atola-se na lama que produz em sua redação, efeito do jornalismo chafurdado no lodaçal das faltas de ética e compromisso com a verdade.
Total sintonia com a manipulação dos fatos, somado a irresponsabilidade de prejudicar a terceiros para atingir seus rasos objetivos político-editoriais.

Última pesquisa  Ibope para o primeiro turno em Curitiba colocava o prefeito eleito, Gustavo Fruet, em terceiro lugar, sem qualquer chances de chegar ao segundo turno...
Ibope
No mesmo Brasil 247, outra matéria dá conta de que o Ibope está sendo denunciado por um grupo de ex-pesquisadores sobre irregularidades cometidas durante as últimas pesquisas eleitorais.

Um denunciante, que pediu demissão do instituto de pesquisa, apresentou a seguinte justificativa para sua saída: "Trabalho no IBOPE realizando as pesquisas de eleição. Realmente os resultados são bem diferentes em relação à pesquisa que fazemos e o que é divulgado na mídia. Pedi minha demissão hoje, 14/09, por este e outros motivos!!".

Nesta mesma matéria são apontadas várias irregularidades cometidas pelo Ibope, como uso de formulários falsos, dirigismo da pesquisa sobre a vontade do pesquisado, interferências políticas, balcão de negócios. Estas e outras mais denúncias servem para comprovar o pouco que resta de credibilidade aos institutos de pesquisa no país.

E não somente em pesquisas eleitorais!

O instituto de Carlos Augusto Montenegro foi condenado na 32ª Vara Cível de São Paulo a ressarcir a Rede Record em R$ 326 mil por ter sido levada a erro por falha em equipamento real time do instituto.

Este erro causou prejuízos à emissora na definição de estratégia em sua grade de programação.

O Ibope mede a audiência da TV brasileira em tempo real nas principais capitais brasileiras, os índices auferidos e publicados definem, por exemplo, a distribuição da verba publicitária. Hoje a Globo arrecada cerca de 60% de todo este montante, ganhos baseados na audiência medida pelo instituto que monopoliza este serviço no país.


Ibope e Veja, cada um em sua área de atuação, comprometem-se com aquilo que está além de seus papéis e, desta maneira, agem deliberadamente para desinformar, manipular e intervir, de forma vil, em processos que, ao contrário, deveriam conferir legitimidade com procedimentos imparciais e transparentes.


Nestes dois casos perde a sociedade com a flagrante mutilação da verdade em nome de interesses nada nobres que estes dois grupos defendem despudoradamente.
Não é mais possível crer no que publicam ou pesquisam, a desconfiança ronda números e letras destes agentes da manipulação de fatos e dados.

(Publicado em Palavras Diversas)

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.