13/03/2013

Mídia ressalta "corpo esculpido" em caso de estupro e assassinato

Mídia ressalta "corpo esculpido" em caso de estupro e assassinato

(Publicado na página do Nós Denunciamos)

Tatiane tinha 27 anos e dois filhos pequenos. Todos os dias caminhava até a academia para se exercitar numa estrada próxima da sua casa. Nessa segunda feira a caminhada e a vida de Tatiane foram interrompidas de forma violenta e cruel. A moça foi estuprada e morta, esganada com o cadarço do próprio tênis que usava.

Mas para a imprensa nem a cena terrível, nem a crueldade do fato, nem o desespero da família importam. O que importa era o "corpo torneado" da jovem, "conseguido com muitas horas de malhação e muay thay". Sim, vocês leram direito. O foco das reportagens sobre o caso tem sido esse. Assistam o vídeo que acompanha a matéria do portal R7 e vejam a insistência em falar e exibir o corpo da vítima:


http://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/noticias/mulher-e-estuprada-e-enforcada-com-cadarco-do-tenis-na-zona-oeste-do-rio-20130311.html

Neste site a homenagem ao Dia Internacional da Mulher contrasta com a exposição da figura de Tatiane:

http://www.meionorte.com.br/noticias/policia/mulher-e-estuprada-e-enforcada-com-cadarco-a-caminho-da-academia-200586.html

Nós conhecemos nossa imprensa. Sabemos que na cobertura de eventos esportivos, por exemplo, o foco será sempre nos corpos e formas das atletas e pouco no seu desempenho e conquistas. O tumblr Machismo Chato de Cada Dia tratou dessa fixação da nossa imprensa com o corpo feminino aqui, por ocasião das Olimpíadas de Londres:

http://machismochatodecadadia.tumblr.com/post/28625561062/olimpiada-do-machismo-parte-1#.UUBt_BysiSo

Já seria lamentável por si só esse exercício diário de machismo por parte da nossa mídia, mas num caso como de Tatiane a coisa ganha contornos graves. Numa sociedade em que a maioria das pessoas nem reconhece que existe uma cultura do estupro, que normatiza a violência de gênero e culpabiliza a vítima, usando exatamente roupa e comportamento para tanto, ver reportagens como essas deveria causar escândalo. A quem interessa saber sobre o "corpo esculpido" de Tatiane? Pra quê inserir essa informação desnecessária e, por que não dizer, inescrupulosa, nas matérias? Isso vai ajudar a esclarecer o crime? Vai ajudar a prender o monstro que interrompeu a vida dessa mulher?

Estamos cansadas desse machismo! Cansadas de vermos nossos corpos e comportamentos serem usados pra justificar a violência. Cansadas de sermos tratadas como material pra vender jornal, mesmo quando estupradas, violentadas, mortas!

Se você também não aguenta mais, não se cale. A Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres tem acolhido esses protestos, gerando em alguns casos até processo. Você pode mandar para lá esse texto, pedindo que o caso seja averiguado:

ouvidoria@spmulheres.gov.br

Também pode reclamar com o portal R7, de onde partiu essa notícia com foco na imagem da vítima:

http://www.r7.com/institucional/fale-com-o-r7/index.html

https://www.facebook.com/portalr7

2 comentários:

Nathalia disse...

Eu não sei o que me deixa mais triste... Uma noticia tão trágica quanto essa ou a forma como abordaram o acontecimento. É simplesmente lamentável a imprensa brasileira. Um grande lixo.

M.A. D. disse...

Concordo contigo em gênero, número e grau. Por causa dessa cultura machista de exibir o corpo feminino como um objeto do desejo sexual masculino, que muitas mulheres continuam morrendo todos os dias. Lamentável.