29/05/2013

Menina de 9 anos coloca CEO do McDonald’s na parede

Menina de 9 anos coloca CEO global do McDonald’s na parede. Questionamentos sobre cardápio voltam à baila em um momento em que a rede de fast food precisa associar suas ofertas a um conceito mais saudável


O CEO global do McDonald’s, Dan Thompson, foi questionado sobre a falta de nutrientes no cardápio da rede e acabou enfrentando uma saia justa no encontro anual de investidores da companhia, nos Estados Unidos.


Quem o colocou na parede foi Hannah Robertson, uma criança de nove anos. Levada ao evento pela mãe Kia, ativista da nutrição infantil saudável, Hannah não titubeou ao ganhar a palavra, como apontou o USA Today.

“Existem coisas na vida que não são justas, como quando seu bichinho de estimação morre”, disse. “Não acho justo que grandes companhias tentem induzir as crianças a comer alimentos. Não é justo que tantas crianças da minha idade estejam ficando doentes”, afirmou, fazendo referência às campanhas de marketing do McDonald’s voltadas para o público infantil.

Hannah continuou: “Senhor Thompson, você não quer que as crianças sejam saudáveis para viverem uma vida longa e saudável?“.

Há menos de um ano no cargo, o executivo respondeu que a companhia não vendia “junk food”, acrescentando que seus filhos também comiam na rede. Além de afirmar que assim como outros pais, ele também supervisionava a alimentação dos pequenos, incluindo frutas e vegetais na dieta da família, Thompson pontuou que o próprio McDonald’s ofertava esses alimentos em seu menu.

Thompson terminou o discurso agradecendo a Hannah pela pergunta.

Menos hamburguer no prato

O episódio expõe um dos embates enfrentados pela empresa para crescer nos dias de hoje: a crescente resistência da chamada geração Millenium às redes de fast food e seus lanches calóricos.

Recentemente, a rede passou a oferecer wraps de frango e smoothies de frutas como forma de conferir uma cara mais saudável ao cardápio. Antes disso, o McDonald’s já havia incorporado frutas como opção para o McLanche Feliz, bem como saladas no lugar das tradicionais batatas fritas como acompanhamento.

No primeiro trimestre do ano, a rede viu as vendas globais caírem 1%, com o lucro operacional ficando estacionado em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 1,9 bilhões de dólares ganhos no período.

A conta não leva em consideração as receitas obtidas pelo McDonald’s na América Latina e Caribe. A Arcos Dourados é a maior operadora da rede nesses locais – mas também não registrou um bom resultado no balanço de janeiro a março.

Apesar de a receita ter aumentado 6,6%, para 976,9 milhões de dólares, a última linha do balanço veio no vermelho em 6,6 milhões de dólares, contra resultado positivo de 25,4 milhões de dólares obtido em 2012. Segundo a companhia, o resultado foi impactado pelo “menor resultado operacional e custos não-operacionais mais elevados relacionados com a desvalorização oficial na Venezuela”.

(Publicado por Revista Exame)

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.