04/06/2013

Ânimo, seu infeliz letárgico - As rapidinhas do Sr Comunica


Subia as escadas da empresa na qual trabalho. Ninguém sabia, mas estava sentindo uma dor horrível que me impedia de andar rápido. Algo que acontece. De repente sou interpelado por um colega:

- Nossa, mas que desânimo!

Tentei explicar, educadamente, que não era desânimo, mas sim dor e forte. Um tempo depois, no banheiro, encontro outro colega que me diz a mesma coisa. Educadamente lhe ofereço explicação semelhante, mas me coloco a pensar rapidamente.


Minha primeira conclusão: neste mundo não se pode sentir dor. Vivemos num planeta que vive a pedir para abrirmos a felicidade, incessantemente. Entorpecemos as dores físicas com remédios e mais remédios (sem prescrição, claro) e as dores da alma sufocamos com alienação, ilusões e consumismo. A felicidade? Está aqui, é só abrir.

A segunda conclusão é que não se pode ser lento, principalmente no mundo empresarial. Você tem que andar enlouquecidamente pelos corredores para que todos te olhem e pensem: isso sim é um trabalhador. E mais: entorpeça seu corpo com remédios ou drogas e mantenha o sorriso entre as orelhas por 24 horas diárias. Todos te olharão e pensarão: este sim é um trabalhador motivado. Não importa se estiver com dores ou se sua mãe morreu: seja rápido e feliz forever.

Nunca, mas nunca mesmo, tenha um momento de solidão, de seriedade ou de calma. Ande correndo, enlouquecido e sorridente feito um palhaço sem circo. Nunca sinta dores, nem tristezas, nem nada. O mundo é um espetáculo. Abra a felicidade.

Deve ser por isso que as pessoas cometem as loucuras mais insanas, porque precisam a todo custo exibirem que estão com pressa. Estar com pressa e não saber esperar por nada significa: meu tempo é valioso, tempo é dinheiro, não posso esperar pelos descuidos de um vassalo ou um transeunte qualquer. Por isso atropelamos, matamos, xingamos, brigamos. São sete bilhões de pessoas que pensam ser o centro do universo com pressa.

Espere: sei que estás com pressa, mas preciso lhe dizer algo mais. A felicidade também parece ser uma exigência social. Vivemos com pressa mas extremamente felizes. Eu sou feliz. Viva a felicidade. Basta olhar no trânsito das grandes cidades, são pessoas aceleradas em excesso e felizes como nunca se viu. O sorriso fixo no rosto só desaparece quando algum infeliz (claro) quer nos tirar alguns segundos preciosos.

Tempo é dinheiro. Dinheiro traz felicidade. Tempo é dinheiro e dinheiro traz felicidade (repita isto até o fim de sua vida). Abra a felicidade e corra, antes que alguém, infeliz ou lento, acabe com esse mundo.

Para finalizar, sem querer tomar todo o seu precioso tempo, alonguei a conversa com as duas pessoas que me interpelaram. No dois casos, não foi preciso mais do que um minuto para que começassem a reclamar de muitas coisas, principalmente relacionadas ao trabalho. E eu, o desanimado e desmotivado infeliz e vagaroso, só estava sentindo dor, fisicamente. Nesse mundo não é importante SER, mas sim pareSER.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.