17/03/2017

Jornalistas homens têm média salarial R$ 1.000 mais alta que mulheres


Outro dia, um amigo também jornalista me procurou para perguntar se eu sabia de alguma vaga para alguém com o perfil dele no mercado. Ele não estava insatisfeito com o trabalho, mas queria ganhar mais. Não queria pedir aumento, pois não sabia se o salário que ele ganha era mesmo compatível com a função, então precisaria sondar outras redações e ter receber uma proposta para ter um argumento bom.

Falamos sobre como essa prática é comum e como, de fato, não temos a menor ideia de quanto é uma remuneração justa para cada função dentro do jornalismo. Sabemos mais ou menos quanto ganha um colega aqui ou ali, mas nada passa daquela velha percepção de que a gente ganha muito mal.

Será mesmo? Fiquei com isso na cabeça e resolvi dar uma apurada. Montei um questionário e pedi para os amigos divulgarem e responderem. Se tivesse um volume legal, publicaria um compilado com as informações mais importantes.

Acho que consegui alguma coisa minimamente interessante. Com 236 participantes, podemos tirar algumas conclusões. Para isso, vale destacar duas questões da minha metodologia: 1) Foram desconsiderados trabalhos voluntários e sem remuneração, bem como freelas muito pontuais ou com variações mensais. 2) Muitos dos jornalistas optaram por não revelar a empresa em que trabalham. Em outros casos, os dados caracterizam a pessoa com muita facilidade, então, por segurança, optei por não divulgar quem são os empregadores.
Quanto ganha um joralista – principais números

O salário médio dos participantes é de R$ 4.220,29, com uma média de idade de 30 anos. O maior pagamento registrado foi de R$ 20.500, já o menor foi de R$ 500.

Diferenciação por gênero

Mesmo com participação mais baixa em cursos pós-graduação, homens têm média salarial R$ 1.000 mais alta que mulheres


Dentre os homens, 8,8% possuem nível superior incompleto e 57,5% completo. 27,5% possuem pós-graduação ou MBA e 3,8% possuem mestrado ou doutorado. Entre as mulheres, 6,9% possuem ensino superior incompleto e 51,4% completo. 32,6% são pós-graduadas ou têm MBA, 6,9% possuem mestrado e doutorado representa 2,1%.

Média salarial por nível de escolaridade

Principais funções

Analista de comunicação (ou conteúdo) — Média salarial: R$ 4.063,64
Assessor de imprensa — Média salarial: R$ 3.317,14
Coordenador — Média salarial: R$ 6.850,00
Diretor — Média salarial: R$ 11.326,00
Editor — Média salarial: R$ 6.095,97
Estagiário — Média salarial: R$ 995,99
Redator — Média salarial: R$ 2.960,00
Repórter — Média salarial: R$ 3.372,01

Vale lembrar que muitas das funções têm vários níveis e desdobramentos e podem variar de empresa para empresa.

Muito obrigado pela participação de todos. A relação completa das respostas pode ser vista em PDF aqui.

Se você não participou da pesquisa, ela ainda está ativa aqui. Se tivermos um volume muito alto de novos participantes, posso publicar um compilado com dados atualizados.
O que você achou dos resultados da pesquisa? Dê sua opinião aí nos comentários! Se tiver alguma sugestão de novas pesquisas, deixe aí também. =)

Flávio Moreira. Head of content and product do @torcedorescom. Texto publicado originalmente na plataforma Medium.






INFORME: Independente, o Comunica Tudo é mantido por uma única pessoa, com colaborações eventuais. Apoie este projeto: clique nas publicidades ou contribua.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.