25/05/2017

Como é difícil olhar para trás sem sentir vergonha

Como é difícil olhar para trás sem sentir vergonha. Não digo sempre, mas muitas vezes olhamos nossas fotos do passado, por exemplo, e entre risos sentimos um pouco de vergonha. Outras vezes vem apenas a lembrança de um tempo bom. Difícil dizer ao certo, porque são muitos sentimentos associados.

Quando digo sentir vergonha, em verdade quero dizer reavaliar-se, pensando: hoje faria melhor. Não sou de natureza nostálgica, não me apego ao passado. Muito pelo contrário, meus olhos estão sempre voltados para o aqui e agora, com algumas olhadas para diante, para o porvir. Mas é inevitável olhar para textos que escrevi, por exemplo, e não sentir a vontade voraz de corrigir e reescrever tudo. 

Ao mesmo tempo, estes mesmos textos me servem para notar o quanto mudei e cresci ao longo do tempo. E este é o maior valor, talvez, de se olhar para o passado. Sentir vergonha não faz sentido, porque a pessoa que hoje sou não produziria os mesmos atos daquela pessoa que fui. Somos a mesma pessoa sendo pessoas tão diferentes no tempo-espaço.

Todo este meu divagar começou nas últimas semanas, pois estou reestruturando todo o site #ComunicaTudo e republicando todo o material, apenas adicionando fotos e atualizando algumas características técnicas. Nenhuma alteração textual (ainda que eu me morda de vontade). Num primeiro momento, ao olhar o passado, sinto o impulso de fluir certa dose de vergonha, pois aquela coisa poderia ter sido melhor, etc. Mas pensando bem, tudo aconteceu como tinha que ser e devemos olhar adiante para ver o quanto crescemos e o quanto ainda podemos crescer.

Olhe ao seu redor. Ninguém nasce perfeito e nem mesmo perfeito morrerá. Sentir vergonha de quê? Se a vida é para experimentar. Seja feliz. E vá. Caminhe adiante. A gente se encontra em algum lugar.

VOCÊ é muito importante para nós. Queremos ouvir SUA VOZ. Deixe seu comentário abaixo, após 'Related Posts'. Apoie este projeto: clique nas publicidades ou contribua.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.