04/06/2017

A depressão também comunica...


Escrever também é uma forma de arte, mas nem toda escrita é artística. Tem bula de remédio assim como tem literatura. Escrever diariamente ou com certa regularidade, como jornalistas por exemplo, nem sempre é fácil. Exige treino, preparo, conhecimento, técnica, entre outras coisas. Mas algumas condições humanas podem piorar muito a ação de escrever e uma delas é a depressão.

Fato é que sou jornalista e amo pesquisar, ler e escrever. O #ComunicaTudo já tem 9 anos de existência e quem o acompanha há tempos sabe que houve alguns períodos de, digamos assim, hibernação do site. E o principal motivo para isso é bem simples e complexo ao mesmo tempo: depressão.

Em 2016 decidi buscar ajuda profissional porque não conseguia mais lidar com isso. Não sabia ao certo o que era, mas tinha uma suspeita muito forte de qual era o meu problema. E eu não estava errado. Tinha e tenho depressão, ainda não curada mas em tratamento terapêutico, sem remédios.

Em fevereiro ou março deste ano tive um impulso raro de reativar este site, pois ele faz parte de minha história. Tenho muitas coisas maravilhosas para compartilhar graças a existência dele. E de alguma forma sinto que lutar pelo #ComunicaTudo é também lutar por mim mesmo.

Eu disse impulso raro porque na depressão a falta de vontade, de vitalidade e a inatividade são imensas, além de outras características da doença. Ainda luto contra todas estas coisas, mas de alguma forma estou aqui, escrevendo.

Na verdade, este texto que você lê agora está sendo pensado há meses. Pensado no sentido de "preciso escrever sobre isso, preciso falar sobre a depressão e colocar isso para fora". Mas é muito difícil falar a respeito. Provavelmente, quem tenha depressão seja capaz de entender estas dificuldades que ainda assombram.

Agora, domingo, início do mês de junho, consigo colocar em palavras alguma coisa, um ensaio, um rascunho. Fisicamente, meu coração está disparado. Tenho certa vontade de chorar. E lutando contra tudo isso, vou dedilhando estas palavras, como quem luta contra a morte.

Faço pausas, penso no como continuar. Olho minhas mãos e digo vamos adiante: dane-se! Preciso botar para fora. Talvez ajude.

Por tudo isso e um pouco mais, a partir de hoje inauguro uma nova coluna neste espaço: Depressão Comunica. A ideia é relatar minha experiência pessoal, ainda em andamento, sobre esta doença. Mas não só isso: quero também abrir espaço a quem queira falar ou se manifestar a respeito, pois sei o quanto o silêncio junto com a depressão são terríveis. A doença é mundialmente conhecida, mas muito mal entendida e até mal julgada.

O escritor e professor de psicologia Andrew Solomon aconselha aos depressivos: saia e conte para alguém. É preciso romper com a barreira do silêncio, já que muitos não falam sobre a doença. Só no Brasil, mais de 11 milhões de pessoas sofrem de depressão, segundo a OMS, que também nos diz que esta doença é uma das três principais causas de incapacidade no mundo e em 2030 será a primeira.

“Por um lado o paciente se isola, e por outro as pessoas não entendem o que acontece com ele: que sofre de algo que se chama depressão. O paciente não tem informação, e a sociedade muito menos. E a depressão é algo que pode afetar a todos nós.” - Antonio Cano, doutor em Psicologia e catedrático da Universidade Complutense de Madri.

“Sempre que alguém que sofreu uma depressão conta isso a outra pessoa, estamos rasgando a cortina do secretismo. Aqueles que se veem confinados no silêncio demoram mais a se recuperar. Devemos convencê-los a falarem, dizendo que falar pode salvar suas vidas. Porque a depressão é o segredo de família que todas as famílias têm.” - Andrew Solomon.

“É preciso ser muito cuidadoso com a maneira como você cuida de alguém que sofre de uma depressão. Ser intrusivo não ajuda. Nem impor um regime de falsa alegria. Às vezes a pessoa deprimida precisa é de alguém que se sente no outro lado da porta, às vezes precisa de privacidade. [...] Ame a uma distância cuidadosa, se for isso o que você precisar fazer, porque, embora o amor por si só não possa curar a depressão, é a ferramenta mais próxima que temos.” - é a recomendação de Andrew Solomon.

#DepressãoComunica: nova coluna do #ComunicaTudo. Nela, relato minha experiência pessoal com a doença (em tratamento), crescente no mundo todo e causadora de males inimagináveis. Quer falar sobre sua experiência? Mande-me email: marceloaugustodamico@gmail.com - precisamos falar sobre isso.

(Texto de Marcelo D'Amico)
(Citações e dados retirados do El Pais: Depressão: O segredo de todas as famílias)

VOCÊ é muito importante para nós. Queremos ouvir SUA VOZ. Deixe seu comentário abaixo, após 'Related Posts'. Apoie este projeto: clique nas publicidades ou contribua.

2 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.