22/06/2017

Paris para amantes das sete artes


Paris tem vários títulos (“cidade luz”, “cidade do amor”, etc), porém gosto de pensar na capital francesa como a capital da arte. Costumo dizer que Paris divide com Florença este título.

A cidade não só produz muita arte, como também exibe os trabalhos de muitos artistas estrangeiros. Se você souber para onde ir, voltará de sua viagem com uma bagagem cultural extremamente maior do que chegou.

Pintura

A pintura é a forma de arte mais presente na cidade de Paris, tendo como exemplo óbvio a Mona Lisa de Leonardo da Vinci, símbolo da cidade e do museu do Louvre. No entanto, há mais obras para ver lá do que apenas esta.

A primeira dica envolvendo o museu mais famoso de Paris será a do tempo: reserve bastante tempo para ver o museu com calma. Caso contrário, acabará perdendo o que ele tem a oferecer. Se estiver com pressa ou com poucos dias, busque as principais pinturas: “Mona Lisa” de Da Vinci e “Liberdade Guiando o Povo” de Delacroix. De preferência, reserve tempo para apreciar as demais obras como: “A Coroação de Napoleão” de Jacques-Louis David, “A Rendeira” de Vermeer, “Virgem das Rochas” de Da Vinci, “Retrato de Louis XIV” de Rigaud, “A Virgem do Chanceler Rolin” de Jan van Eyck. O museu conta com mais obras italianas, seja de Da Vinci, Rafael, Caravaggio, etc.


Para além do Louvre, então, indico: Museu D’Orsay, L’Orangerie, Petit Palais e Centro Georges Pompidou. Obviamente, indicaria que visitem todos os que puderem, mas vou me manter “breve”.

Destes todos, meu favorito é o D’Orsay. Lá, encontra-se um número imenso de pinturas de Van Gogh, Courbet, Degas, Monet, Renoir, entre outros. O museu não é tão grande como o Louvre, porém as salas são repletas de pinturas preciosas. Desde o autorretrato mais famoso de Van Gogh até “A Aula de Balé” de Degas, todas são encantadoras. Quanto ao L’Orangerie, o grande destaque é a sala de Monet. Este é o museu que expõe “As Ninféias” (tela gigantesca, que dá uma volta 360º na sala).


O Petit Palais, por sua vez, é um pouco menos visitado pela maioria dos turistas, mas também guarda tesouros lindos. O prédio em si já sendo uma obra de arte, o museu conta com diversas telas impressionistas e simbolistas não tão famosas, porém magníficas. Vale a pena a visita!

Quanto ao Pompidou, reservo esta dica apenas para os fãs de arte moderna. O museu conta com obras famosíssimas, como “A Fonte” de Duchamp.

Escultura

Se o tipo de arte que você busca for esculturas, não deixe de visitar os seguintes museus: Louvre e Rodin. Sendo o primeiro generalizado e o últimos especializado em apenas um artista. Destaco, nesta área, as obras “Vênus de Milo” (Louvre), “Vitória de Samotrácia” (Louvre), “O Beijo” (Rodin) e “Psiqué Reanimada pelo Beijo do Amor” (Louvre).


Literatura

Se você é um fã de literatura, provavelmente gosta da Geração Perdida de 1920. Paris é o lugar onde viviam, nesta época, os artistas estadunidenses e de demais países. Dentre eles, Ernest Hemingway, Scott Fitzgerald e sua Zelda, Gertrude Stein, T. S. Elliot, entre muitos outros. O hotspot para qualquer fã destes autores é, certamente, a livraria “Shakespeare & Company”, localizada no endereço 37 Rue de la Bûcherie.


Neste endereço, os artistas da Geração Perdida se encontravam, compravam livros, realizam clubes de leitura e eram amigos íntimos das donas. Além disso, a livraria é um encanto por si só! A fotografia lá dentro é extremamente proibida, então só indo para ver! Se você já assistiu Meia Noite em Paris, de Woody Allen, provavelmente se lembra que o tema do filme é a própria Geração Perdida. Dentre as locações, está a nossa livraria.

Por último, recomendo uma visita à casa do escritor francês, Victor Hugo, localizada em 6, Place des Vosges. A tour é muito legal e a casa está bem conservada!

(Via Perambularte, por Mandy Affonso)

VOCÊ é muito importante para nós. Queremos ouvir SUA VOZ. Deixe seu comentário abaixo, após 'Related Posts'. Apoie este projeto: clique nas publicidades ou contribua.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.