26/07/2017

Enegrecer e resistir: 25 de julho - #julhonegro


25 de julho: Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra / Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha


"No Quilombo de Quariterê, Tereza comandou a maior comunidade de resistência no século XVIII, tornando-se uma das mulheres negras importantes e heroínas da história ancestral do povo negro. Data como esta que temos orgulho em comemorar, também comemoramos o dia da Mulher Afro-latino-americana e Caribenha. 

O 25 de Julho internacionaliza uma data que lembra a resistência das mulheres negras, principalmente as opressões de gênero e étnico-raciais. Desta forma, essa data fortalece as organizações e identidade das mulheres negras, que vem construindo estratégias para o enfrentamento do racismo e do sexismo. Essa não é uma data qualquer para as mulheres negras, resgata a luta das mulheres negras da diáspora, iniciada ainda na década 70, através das feministas negras em pontos diferentes da diáspora.

Comemorar o 25 de julho é reverenciar a elaboração de novas perspectivas feministas, onde não podemos esquecer que o feminismo que ressurgiu na década de 1970, afirmava uma identidade feminina homogênea, logo não se conseguia identificar e visibilizar demandas específicas de mulheres, no caso das mulheres negras, que sofriam com a intersecção de diversas condições como, gênero, raça, classe, etnia, orientação sexual e religiosidade. 

Neste 25 de julho, Dia da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, nós reafirmamos nossa palavra de ordem: RESISTÊNCIA. Continuamos resistindo porque as opressões de raça, classe e gênero continuam operando pesado sobre nós; continuamos resistindo, porque a feminização da pobreza tem cor e é a nossa; continuamos resistindo porque a precarização do trabalho aprofunda as desigualdades e estamos na base da pirâmide socioeconômica do Brasil. 

Nos defendemos do sistema capitalista, racista, e patriarcal, mas não só isso: vamos pra cima dele todos os dias. Por isso nós mulheres do coletivo ENEGRECER e com apoio da roda de samba: Samba Independente dos bons costumes, viemos convocar todas as mulheres negras a somarem conosco no dia 27 de julho de 2017, onde realizaremos no Instituto Cultural Ruínas a partir das 16h30.
• Roda de conversa
• Exposição Fotográfica
• Intervenções durante a roda de samba: Samba Independente dos bons costumes
• Presença confirmada das cantoras: Simone Costa e Ana Bispo.

Todo 25 de julho é uma oportunidade para afirmarmos nossa luta ancestral, nossa resistência cotidiana ao sistema patriarcal, racista, lgbtfóbico."

#25diasdeativismodasmulheresnegras
#JulhoNegro

Data:
27/07 às 16:30 - 21:30
Local:
Instituto Cultural Ruínas - Praça Tiradentes, 75, 20060070 Rio de Janeiro
Evento no Facebook:
https://www.facebook.com/events/321088434983924/

Referências:https://www.geledes.org.br/porque-reverenciamos-o-25-de-julho-dia-da-mulher-afro-latino-americana-e-caribenha/
https://marchamulheres.wordpress.com/2016/07/25/feminismo-das-preta-superar-as-dores-e-reescrever-a-historia-do-mundo/
(Via Coletivo Enegrecer, Coletivo Nacional de Juventude Negra)


VOCÊ é muito importante para nós. Queremos ouvir SUA VOZ. Deixe seu comentário abaixo, após 'Related Posts'. Apoie este projeto: clique nas publicidades ou contribua.

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.