05/09/2017

O tempo é o senhor do tempo, da razão e da intenção

Viver é, por vezes, uma experiência inenarrável. Ter vivências múltiplas ou buscá-las através de outras pessoas e relatos é enriquecedor e, até certo ponto, tranquilizante. Acalma a alma na medida em que previne certo caminhar errante, como quem aprende algo por observação.

Errar é importante, pois demonstra atividade, persistência, vontade e o erro em si tem muito a nos ensinar. Mas ferir alguém, obviamente, não é agradável, talvez, para ambas as partes. Por vezes ferimos sem intenção. Outras não. Vida que segue. Mas é exatamente na intenção onde reside nosso maior tesouro e também nosso maior veneno.

A intenção que não se vê, não se mede, não se toca, é o que nos movimenta a esta ou aquela atitude. Fôssemos capazes de ver a real intenção de cada ação que temos diariamente (não a intenção dita, mas a real), sentiríamos vergonha de boa parte de nossas próprias ações, como também das alheias. Não todas, claro, mas de parte significativa delas.

A maioria de nós está socialmente atento aos olhares ao redor. Por isso procuramos medir, refinar ou reelaborar melhor nossas ações. Objetivo? Muitas vezes pode ser o de esconder uma intenção obscura, má. Para isso dissimulamos nossos discursos e atos para nos mostrarmos mais 'bacanas' ao mundo. Outras vezes, este realinhamento pode ser fruto de uma boa intenção. Como se a intenção fosse nosso corpo nu e nossos dizeres e ações fossem as roupas que vestimos, cobrindo nossa nudez. E como é difícil se colocar nu diante do mundo, exibindo em nossa pele todas as nossas reais intenções.

O homem não é o senhor do tempo, mas o próprio tempo é o seu senhor, porque ele é capaz de trazer à tona o que de imediato não se vê: a intenção de cada um de nós. Popularmente se pode dizer que com o tempo as máscaras caem, e por mais que doa algo no presente, é preciso esperar pelo tempo. Como se diz no senso comum, a vida coloca as coisas no lugar e tudo tem seu tempo.

É possível ter boa intenção e mesmo assim errar na hora de agir. Sim, somos humanos. Assim como tantas outras coisas são possíveis em nossas vidas. O que realmente não me parece plausível é ter uma má intenção e ver o bem ser semeado por suas próprias mãos.

O tempo, grande discursador, nos dirá quem é você e quem sou eu. Em nossas intenções e nas intenções de todos os que nos cercam, reside a verdade que tanto buscas (e nem sempre ofereces) e que o tempo vai revelar. É sábio não se precipitar. 

O tempo dirá se estas palavras encontram algum sentido e alguma boa intenção. O tempo dirá.

(Via Marcelo D'Amico)


VOCÊ é muito importante para nós: queremos ouvir sua voz. Deixe um comentário após 'Related Posts'. Apoie o #ComunicaTudo: clique nas publicidades ou contribua. Saiba mais através do email marceloaugustodamico@gmail.com

0 comentários:

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SUA VOZ É IMPORTANTE.