Descubra o que é infodemia e saiba como superar

SHARE:

#ComunicaTudo - Criado e mantido por Marcelo D'Amico desde 2008. Revista digital de comunicação, política, notícias, artes, entrevistas e mais.


Quando o coronavírus SARS-CoV-2 começou a se espalhar mais rapidamente pelo mundo em fevereiro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) empregou o termo "infodêmico" para descrever as desinformações e informações erradas que circulavam junto. Muitos rumores, mitos e falsidades se espalharam -- e continuam a se espalhar -- sobre qualquer coisa, desde "curas" a quarentenas obrigatórias, até teorias da conspiração sobre a origem do vírus.
Especialistas e jornalistas defenderam o combate à infodemia, desmentindo falsidadesrumores e especulações. Muitos serviços e artigos de checagem de fatos estão fazendo exatamente isso, tentando esclarecer a situação.
Contudo, nem todas as informações erradas devem ser tratadas da mesma forma. As falsidades que circulam são um grupo variado, afinal. "A COVID-19 provocou uma fonte de rumores: uma mistura indistinguível de informações não verificadas, informações úteis, desinformação e desinformação intencionalmente manipulada", escreveu Heidi J. Larson, diretora do Vaccine Confidence Project da Faculdade de Higiene e Medicina Tropical de Londres.
De fato, alguns rumores podem oferecer valor aos jornalistas. Como argumentei em um artigo de opinião no mês passado, em vez de vê-los apenas como percepções errôneas a serem suprimidas com informações precisas, devemos considerá-los como feedback que podemos usar para ajudar a melhorar nossas reportagens e, por sua vez, aliviar os medos do público.
Encontrar a melhor maneira de lidar com falsidades e informações erradas durante esta pandemia é uma das muitas tarefas difíceis que jornalistas e editores enfrentam. Para ajudar a aliviar a ansiedade do público, os jornalistas precisam ir além de desmentir a desinformação.
Aqui estão algumas dicas para incorporar mais nuances ao abordar a próxima história infundada de coronavírus que aparecer no seu caminho.

(1) Considere se desmentir é a jogada certa

Se você está lidando com o que parece uma falsidade que encontrou um público, desmonte-a. Siga as ferramentas recomendadas e as melhores práticas sobre como fazer isso, incluindo a substituição por uma nova narrativa, o que, segundo pesquisas, é mais eficaz. A editora de saúde e ciência do Washington Post, Laura Helmuth, também recomenda explicar por que a falsidade se espalhou e manter os desmentidos curtos e agradáveis.
No entanto, evite o desejo de "corrigir" todas as falsidades. Fazer isso às vezes pode aumentar uma crença falsaHelmuth sugere parar se um pedaço de desinformação ainda não encontrou um grande público. Isso vale para mitos que carregam tropos racistas xenofobia também. "É um problema semelhante: se você reportar sobre postagens racistas nas redes sociais que ainda não receberam muita atenção, corre o risco de chamar a atenção para elas e expor mais pessoas a elas", disse Helmuth à IJNet.
Ainda assim, há momentos em que as referências racistas não são tão obscuras. Algumas pessoas importantes continuam se referindo ao SARS-CoV-2 como o "vírus Wuhan" ou "vírus chinês", por exemplo. Considere adicionar contexto ao reportar sobre isso: pode ser útil explicar que chamar novas doenças com base em um determinado local costumava ser uma prática comum, mas que foi abandonada para evitar o estigma, disse Helmuth.

(2) Não descarte todas as especulações diretamente

Em vez disso, dê uma olhada. Faça alguma pesquisa para distinguir entre rumores baseados em ansiedades legítimas de atores bem-intencionados e aqueles difundidos deliberadamente por grupos mal-intencionados, talvez por razões políticas.
"Existem elementos de verdade e falsidade em todos os [rumores] -- mas o objetivo é levar a sério as razões subjacentes", disse à IJNet Melissa Leach, cientista social e diretora do Instituto de Estudos do Desenvolvimento no Reino Unido.
Veja, por exemplo, alegações que animais de estimação podem transmitir o vírus. Não há evidências sólidas para apoiar a afirmação. Mas, para alguém que não conhece a ciência das doenças que pulam a barreira entre espécies, não é muito difícil acreditar, pois há um vínculo legítimo entre a vida selvagem e o SARS-CoV-2.
Lembre-se de que pouco se sabe sobre o vírus ainda, e as orientações podem evoluir rapidamente. A OMS, por exemplo, mudou recentemente suas informações oficiais sobre a doença em animais de estimação depois que um caso de cão infectado surgiu em Hong Kong.
Leach e outros cientistas sociais acreditam que a simples correção de rumores pode, em alguns casos, minar a confiança -- e criar confiança é tão importante quanto fornecer acesso a informações precisas. 

(3) Reconhecer as ansiedades das pessoas

Muitas vezes há muita incerteza quando novas doenças se espalham, o que alimenta o medo e a ansiedade. A realidade é que as pessoas às vezes usam histórias para entender essas situações. Como descobriram recentemente os editores da National Geographic, as pessoas podem até procurar essas histórias em busca de alívio.
À medida que a COVID-19 se espalha pelo mundo, mais e mais artigos reconhecem os medos que no cercam, investigando a psicologia do medo e a compra em pânico de papel higiênico, por exemplo. Olhar para os rumores através de uma lente semelhante pode abrir novas maneiras de lidar com o problema de desinformação.
"Quando os estados psicológicos atingem o pico e as pessoas estão ansiosas, elas estão mais aptas a compartilhar informações [imprecisas]", escreveu Jennifer Grygiel, professora assistente de comunicações da Universidade de Syracuse, em um artigo que investiga falsidades sobre a COVID-19.
Se você está lidando com um boato que circula entre um público ansioso, procure informações de cientistas sociais e psicólogos sobre a melhor maneira de entender e responder a ele.

(4) Concentre-se em reportagens que ajudam a avaliar os riscos 

Fornecer informações claras sobre o que sabemos e o que não sabemos sobre riscos, com base nas melhores evidências disponíveis, também ajuda a combater informações falsas. Seja transparente e faça uma distinção entre algo conhecido, incerto, desconhecido e especulações.
A cobertura que prioriza a ciência e a saúde pública no lugar da política e da economia da resposta pode ajudar a evitar que os medos sejam exagerados, por um lado, e destacar os riscos reais para a saúde, por outro.
Venho monitorando e compartilhando artigos relacionados a COVID-19 em uma newsletter desde o início de janeiro, quando o vírus foi registrado pela primeira vez como uma 'pneumonia misteriosa' da China. Infelizmente, até o final de fevereiro, o leitor médio tinha dificuldades para encontrar artigos focados na doença e sobre quanto o público poderia estar em risco. A cobertura da grande mídia tendeu a refletir preocupações sociais e políticas, como impactos na economia global.
O grande volume de informações sobre COVID-19 significa que os leitores podem escolher quais notícias e análises consumir e acreditar. Isso pode reforçar vieses preexistentes e aborda desafios maiores no cenário da mídia.
"Estamos em uma situação sem precedentes com a pandemia de coronavírus", disse Grygiel à IJNet. “Esta é a primeira pandemia da era da mídia social, e o ambiente de informação já é instável, devido à falta de políticas e infraestrutura eficazes de moderação de conteúdo, e à quebra no papel tradicional de guardião dos jornalistas.”

(Por Anita Makri: escritora, editora e produtora freelancer especializada em ciência e desenvolvimento internacional. Sediada em Londres, já trabalhou no Sul Global e cobriu emergências, incluindo a pandemia de gripe suína H1N1.)
*Imagem sob licença CC no Unsplash via Adam Nieścioruk


SIGA-NOS!!!

Twitter: twitter.com/blogcomunica

Instagram: instagram.com/blogcomunica

Facebook: facebook.com/ComunicaTudo

COMMENTS

BLOGGER
Nome

Anna Poulain,8,Apoemático,19,APPs,18,Arte,30,Arte Digital,21,Artigos próprios,107,Artigos reproduzidos,286,Biografias,3,Cinema,14,Citações,20,coluna S I T T A,5,Consumidor,24,Contos,14,Crônicas,9,Cultura,22,Dados estatísticos,17,Depressão Comunica,15,Diálogos,1,Diego Pignones,44,Digital,3,Documentários,126,Educar,32,Ensaios,15,Entrevistas,45,Fabio Nogueira,46,featured,4,Fotografia,49,Games,4,HQ,19,In Memoriam,5,Informe,1,Jornais,29,Jornalismo Literário,7,Língua Inglesa,1,Língua Portuguesa,26,Literatura,42,Machismo,17,Memórias de minha janela,10,Mídia,1308,Música,131,nota,9,Nota.,223,Notificando,3,Outros Blogs,2,Pablo Pascual García,1,Pensamento e Comunicação,65,Pensamentos tupiniquins,196,Pintura,21,Podcast,5,Poesia,43,Política Carioca,144,Política Internacional,350,Política Nacional,1050,Q tem pra V,98,Rádio/TV,37,Rapidinhas do Sr Comunica,29,Saúde,27,tattoo,5,Teatro,37,Tetraplégicos Unidos,19,Tirinhas,5,Tupi Guarani Nheengatu,8,Viagem,18,Vídeos,70,Web,54,
ltr
item
COMUNICA TUDO: Descubra o que é infodemia e saiba como superar
Descubra o que é infodemia e saiba como superar
#ComunicaTudo - Criado e mantido por Marcelo D'Amico desde 2008. Revista digital de comunicação, política, notícias, artes, entrevistas e mais.
https://1.bp.blogspot.com/-JO4r9cvTqME/XpXXySNqh-I/AAAAAAAAS80/pmGETOasFoUdCz4PrX7yCQ1H7-JNakg8ACLcBGAsYHQ/s640/adam-niescioruk-Z9arfr0f248-unsplash.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-JO4r9cvTqME/XpXXySNqh-I/AAAAAAAAS80/pmGETOasFoUdCz4PrX7yCQ1H7-JNakg8ACLcBGAsYHQ/s72-c/adam-niescioruk-Z9arfr0f248-unsplash.jpg
COMUNICA TUDO
https://www.marcelodamico.com/2020/04/descubra-o-que-e-infodemia-e-saiba-como.html
https://www.marcelodamico.com/
https://www.marcelodamico.com/
https://www.marcelodamico.com/2020/04/descubra-o-que-e-infodemia-e-saiba-como.html
true
4187826622770269860
UTF-8
Loaded All Posts Not found any posts VIEW ALL Readmore Reply Cancel reply Delete By Home PAGES POSTS View All RECOMMENDED FOR YOU LABEL ARCHIVE SEARCH ALL POSTS Not found any post match with your request Back Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Follow THIS PREMIUM CONTENT IS LOCKED STEP 1: Share to a social network STEP 2: Click the link on your social network Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy Table of Content